bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Violência abala confiança do consumidor, que cai 2,9%

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou queda de 2,9% em junho, em relação a maio, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). De acordo com o levantamento, o indicador passou de 138,7 pontos em maio para 134,7 pontos atingidos em junho, considerando a escala de zero a 200 pontos, do pessimismo total para o otimismo total do consumidor. Na comparação com junho do ano passado, a queda foi ainda maior, de 3,1%. No grupo de consumidores com renda superior a dez salários mínimos, a diminuição verificada no mês foi de 5,9%.Na avaliação da Fecomercio-SP, a queda na confiança do consumidor está relacionada com o aumento da violência em São Paulo. A pesquisa, realizada por meio de sondagens semanais, revelou que na semana dos ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Estado, o índice registrou redução de 7,5% na comparação com a semana anterior, e diminuição de 26,9% no grupo de consumidores com renda maior de dez salários mínimos.De acordo com a entidade, esses resultados "evidenciam que o sentimento de insegurança atingiu mais intensamente a classe média paulistana". Segundo o presidente da Fecomercio-SP, Abram Szajman, "a estagnação do emprego e da renda, o risco da inadimplência e o atual patamar da taxa Selic parecem afetar mais o humor dos consumidores com renda superior, que estão menos confiantes em relação ao presente". "Já os de renda mais baixa estão mais otimistas quanto ao cenário atual do que em relação ao futuro, isso graças a Copa do Mundo que costuma melhorar o ânimo das pessoas e aumentar sua intenção de adquirir bens duráveis", completou.A queda do ICC da Fecomercio-SP foi afetada pelas retrações verificadas no Índice de Condições Econômicas Atuais (ICEA), que avalia a percepção do consumidor em relação à situação presente, e no Índice de Expectativas do Consumidor (IEC), que mede o sentimento do consumidor em relação ao futuro. O ICEA teve, no mês, queda de 5,5%, atingido os 124,7 pontos, enquanto o IEC medido em junho apresentou diminuição de 1,2% no período, com 141,3 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.