Viracopos consegue financiamento para concluir terminal

Concessionária, que tem entre os sócios a UTC, envolvida na Lava Jato, espera finalizar a obra até setembro

LUCAS SAMPAIO, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2015 | 02h05

O aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), conseguiu a aprovação de R$ 633,7 milhões em empréstimos para concluir seu novo terminal de passageiros, que deveria ter sido entregue antes da Copa do Mundo, mas foi inaugurado parcialmente em outubro. Desde dezembro, as obras estão paralisadas e o terminal recebe apenas os voos internacionais do aeroporto (3% do total).

Faltam apenas trâmites burocráticos para a liberação do dinheiro, mas tanto a concessionária que administra o aeroporto quanto o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que será responsável pelo empréstimo de R$ 507,5 milhões (80% do total), já confirmam a operação.

Em nota, o BNDES informou que "os recursos serão destinados à realização de novo ciclo de investimentos, para o período de 2015 a 2017, e investimentos não contemplados no projeto original da fase 1-B (pré-Copa), além de investimentos sociais". O dinheiro será liberado de acordo com o cronograma da obra. A administração do aeroporto informou que o recurso será destinado à conclusão das obras que já deveriam ter sido entregues, além de quitar empréstimos feitos no ano passado para o pagamento de credores.

Por falta de dinheiro, as obras, que estão 95% concluídas, foram paralisadas. A concessionária tenta, desde agosto do ano passado, um empréstimo para retomar a construção do terminal, mas estava com dificuldade porque um de seus acionistas, com fatia de 23%, é a empreiteira UTC, cujo presidente Ricardo Pessoa está preso desde novembro por envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. A obra do aeroporto é executada pelas construtoras Constran, que pertence à UTC, e Triunfo.

Viracopos encerrou 2014 com lucro de R$ 85,6 milhões e R$ 10 milhões em caixa. "Não consigo entender como eles tiveram tudo isso de dinheiro e não conseguiram terminar a obra", diz Sérgio Lino, diretor de base do Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada e Afins do Estado de São Paulo), sobre os R$ 2,5 bilhões investidos na obra desde o início da concessão.

Com a liberação do empréstimo e a retomada da obra, o novo terminal deve ficar pronto e receber os voos nacionais até setembro, estima o diretor-presidente da concessionária, Luiz Alberto Küster, que deixará o cargo nos próximos meses, para ocupar um assento no conselho de administração. "A previsão é de que as companhias aéreas sejam transferidas para o novo terminal até julho, por causa das férias. O processo deve ser concluído até setembro."

A substituição de Küster deve ser oficializada em junho. Seu provável sucessor é o diretor de engenharia, Gustavo Müssnich, que já foi executivo da construtora Triunfo - responsável pelas obras de ampliação do aeroporto, junto com a Constran.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.