Divulgação
Divulgação

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Vírus zika faz Tata mudar nome de carro

Novo modelo da montadora indiana, que tem Messi como garoto propaganda, se chamaria Zica

CLEIDE SILVA, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2016 | 05h00

A montadora indiana Tata Motors decidiu mudar o nome de seu novo modelo de carro, batizado inicialmente de Zica, por sua semelhança com o nome do zika vírus, transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti.

“Em solidariedade aos sofrimentos recentes provocados pelo recente surto do vírus zika, a Tata Motors, como uma companhia socialmente responsável, decidiu mudar o nome do carro”, disse a empresa em um comunicado divulgado na terça-feira, 2. O novo nome será anunciado em alguns dias.

O lançamento do modelo Zica, da montadora indiana, foi fortemente anunciado nas últimas semanas. As campanhas publicitárias foram protagonizadas pela estrela do Barcelona, Lionel Messi, eleito o melhor jogador do mundo. Mas seu lançamento coincidiu com a crescente preocupação mundial com o zika vírus, que pode ser o responsável pela multiplicação de casos de microcefalia em fetos de mulheres grávidas que foram infectadas.

Na segunda-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a microcefalia e as desordens neurológicas em áreas com a presença do zika vírus emergência internacional.

Lançamento. O modelo compacto de cinco portas recebeu o nome de Zica como um acrônimo de Zippy Car. O lançamento oficial, previsto para as próximas semanas, será feito depois da mudança do nome, mas o carro será apresentado na feira Auto Expo 2016, que começa hoje na capital indiana. Os modelos que serão expostos no evento terão a placa de Zica, pois não houve tempo ainda de alteração.

Há algumas semanas, em conversa com executivos da Índia, diretores da Jaguar Land Rover do Brasil – que pertence ao grupo indiano – alertaram a companhia da semelhança dos nomes. Segundo a empresa, o modelo compacto não será vendido no mercado brasileiro.

No ano passado, uma indústria do setor farmacêutico viveu uma situação muito parecida com a da Tata. Para evitar confusões com o Estado Islâmico, cuja sigla em inglês é ISIS, a empresa de biotecnologia Isis Pharmaceuticals passou a se chamar Ionis Pharmaceuticals. /COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.