Visanet tem mais procura que oferta

Pela demanda registrada até agora, IPO da empresa deve mesmo ser o maior da história da Bovespa

Lucia Kassai e Stella Fontes, O Estadao de S.Paulo

23 de junho de 2009 | 00h00

A procura pelos papéis da Visanet na oferta inicial de ações (IPO) já supera em cerca de duas vezes a quantidade proposta pelos vendedores das ações. O período de reservas começou no dia 17 e será encerrado amanhã. A expectativa de fontes ouvidas pela Agência Estado é de que o preço do papel, que será definido na quinta-feira, fique próximo do teto de R$ 15,00 por ação sugerido para a operação, podendo até mesmo superá-lo, de acordo com o termômetro da demanda. Se isso ocorrer, será a maior abertura de capital da história da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa)."O bookbuilding está inflado, sem dúvida. A procura está forte não só por parte dos investidores estrangeiros, mas também das pessoas físicas", disse um corretor, para quem certamente haverá rateio entre os investidores. A abertura de capital da Visanet, processadora de operações com cartões, envolve 477.674.330 ações no lote inicial, além de lote suplementar de até 71.651.149 ações e lote adicional de até 95.534.866 ações. O intervalo de preço sugerido vai de R$ 12,00 a R$ 15,00. Considerando o montante total, a oferta pode chegar a R$ 9,672 bilhões no teto do preço sugerido, desbancando a maior abertura de capital do País até agora - a da empresa OGX, do grupo do empresário Eike Batista. A empresa conseguiu captar R$ 6,7 bilhões no ano passado.A expectativa é de que os estrangeiros fiquem com mais de 70% da oferta, mas a participação dos investidores pessoa física também deve ser importante. "Tem muito investidor liquidando posições na Bovespa e realocando os recursos para a oferta", comentou um gestor. Ele observou, no entanto, que enquanto na oferta de Redecard muitos reservaram ações no limite máximo de R$ 300 mil, na Visanet os investidores estão sendo mais cautelosos. "Os mais ousados estão reservando até R$ 100 mil, em média. Eles estão mais conservadores em razão da atual aversão ao risco que o mercado acionário enfrenta", comentou. O mesmo raciocínio, disse, não se aplica aos investidores qualificados, sobretudo os estrangeiros, que têm demonstrado apetite semelhante ao de outras ofertas.Um diretor de corretora lembrou que, com o intuito de garantir a demanda, o Bradesco, um dos ofertantes, abriu um fundo de investimentos de ações alocado exclusivamente em Visanet, o Bradesco Fia Visanet. "É uma forma de assegurar a participação do pequeno investidor e dar saída para a operação", comentou. O fundo tem aplicação mínima de R$ 300,00, mais acessível, portanto, do que uma participação direta na oferta, cuja aplicação mínima é de R$ 3.000,00.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.