Visita à África abriu espaço para exportação, informa Apex

A missão comercial brasileira que esteve na África do Sul, na semana passada, resultou em exportações já contratadas de US$ 2 milhões e em negócios a serem concluídos nos próximos meses de US$ 49,930 milhões, segundo o presidente da Agência de Promoção de Exportações (Apex), Juan Manuel Quirós. As exportações para a África do Sul e outros 10 países do continente africano possibilitarão, segundo aApex, a abertura de 691 novos postos de trabalho no País. Os negócios foram feitos nas áreas de têxteis e confecções, alimentos, máquinas e equipamentos para infra-estrutura, calçados, equipamentos médico-hospitalares e cerâmicas e revestimentos, entre outras. Aagência investiu US$ 72,5 mil para levar os representantes de 72 empresas e seis associações de classe brasileiras para fazerem cerca de 220 contatos com empresários sul-africanos.Segundo Quirós, cada uma das empresas nacionais teve de cinco a oito contatos, no mínimo, com empresas locais que representavam, somadas, cerca de 80% dos respectivos mercados de atuação. "O que possibilitou isso foi a inteligência comercial que fizemos. Contratamos duas empresas para fazerem a prospecção do mercado sul-africano e estudos setoriais", disse Quirós. Segundo ele, as duas empresas forneceram informações que municiaram os brasileiros na hora da negociação. "Mais de 3,2 mil empresas sul-africanas foram prospectadas", informou. De acordo com o presidente da Apex, o mercado sul-africano está em expansão e tem muitas semelhanças com o brasileiro. "Pudemos ver também que o Brasil não só tem preço como também tem qualidade", finalizou. No dia 31 deste mês, Quirós embarca para Londres e depois vai à Síria, entre 2 e 8 de setembro, para mais duas rodadas de negócios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.