Visita de Kirchner ainda destaque nos jornais argentinos hoje

A visita do presidente Néstor Kirchner ao Brasil continua em destaque nos jornais argentinos, mas as manchetes de capas desta sexta-feira foram mais amplas, além do encontro de Kirchner com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O Clarín, por exemplo, deu prioridade às declarações de Kirchner tratando de esfriar a briga com o Uruguai sobre a construção das fábricas de celulose. Mas também deu uma pequena chamada para uma reportagem sobre "os avanços em acordos estratégicos com Lula e Chávez".Já o La Nación preferiu destacar a opinião do presidente argentino de que "não está mal" se o Uruguai conseguir um bom acordo comercial com os Estados Unidos. Assim como o Clarín, o La Nación também fez uma pequena chamada sobre o "impulso ao gasoduto continental", dado pelos presidentes Néstor Kirchner, Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez.O econômico El Cronista foi o que maior destaque deu na primeira página ao encontro em Brasília entre os presidentes, com seis manchetes: "Kirchner quer um meio termo entre congelamento e ortodoxia"; "Não podemos impedir um acordo Uruguai-Estados Unidos"; "a cúpula de Brasília mobilizou os acordos energéticos e comerciais"; "capitais chineses poderiam financiar o gasoduto sul-americano; Brasil assina no final do mês a cláusula que põe limites às exportações"; Enarsa dá luz verde à PdVSA na Argentina; e "prorrogaram por seis meses o pacto automotivo".O Ámbito Financiero também destaca "a ambição de Kirchner: meio termo entre congelamento e racionalidade". Além dessa reportagem sobre o trecho da entrevista que o presidente concedeu à imprensa argentina ontem, em Brasília, na qual opinou sobre as ferramentas utilizadas por seu governo para combater a inflação, Ámbito destacou que os presidentes Lula, Kirchner e Chávez querem criar um "Banco do Sul com as reservas internacionais dos três países".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.