Visita não resolverá embargo da Rússia à carne, diz Amorim

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse após assinatura de um acordo entre Brasil e Itália, que o problema com o embargo da carne brasileira provocada pelo aparecimento de um foco de febre no Mato Grosso do Sul, "não é uma coisa que vai se resolver nesta visita à Rússia", que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve iniciar ainda hoje à noite."Nós temos de resolver o problema no Brasil como está sendo resolvido. O que esperamos é que vejam a situação com a dimensão que realmente ela tem e que não tomem nenhuma decisão desproporcional em relação ao problema. E que tão logo resolvamos o problema - que vamos resolver - seja suspenso qualquer tipo de embargo.Celso Amorim lembrou que as conversas que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve com o presidente da Rússia, Wladimir Putin, durante a visita dele ao Brasil, foram proveitosas. "Tanto que a Rússia tem adotado uma posição correta que é de tratar o problema da febre aftosa, como um problema regional", disse. E completou: "agora surgiu um caso em Mato Grosso, o governo tomou medidas em relação a ele e nós temos de resolver este problema. Não é a Rússia que vai resolver por nós", afirmou.Celso Amorim disse que recebeu a garantia do ministro Lavon com quem esteve na sexta-feira, de que Rússia tem interesse de manter a posição de só fazer embargo da carne da região com problema.Ele classificou como positivo o encontro dos dois e acrescentou que a Rússia teve atitudes mais positivas em relação ao embargo da carne do que a posição tomada por outros países, que estenderam o embargo a outros Estados.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2005 | 11h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.