Vitória do Brasil na Alca poderá se mostrar vazia, diz FT

O jornal Financial Times afirma hoje que a vitória diplomática do Brasil nas negociações para formação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca), que estão ocorrendo em Miami, poderá se mostrar "vazia". Segundo o diário britânico, a razão real para o recuo do governo norte-americano nas negociações é que "o Brasil o colocou num canto ao deixar claro que estava preparado a ver o encontro de Miami fracassar a menos que suas reivindicações fossem atendidas". Um fracasso seria particularmente embaraçoso para a Casa Branca pois o estado da Flórida "será fundamental para as chances de reeleição do presidente George W. Bush e porque seu irmão Jeb, governador do Estado, está energeticamente apoiando a aspiração de Miami se tornar a sede da Alca". O jornal econômico britânico salientou que grupos de empresas dos Estados Unidos, que estão pressioando por um acordo abrangente e ambicioso para abrir os mercados do Alasca até a Patagônia Cape Horn, mostraram estar muito decepcionados.A Associação Nacional de Manufatureiros disse que um acordo que avançasse muito pouco além dos compromissos atuais da Organização Mundial do Comércio não valia a pena ser fechado. "Ao explorar com astúcia o dilema dos Estados Unidos, o Brasil garantiu que o rascunho da Alca se alinhe a suas próprias demandas por um projeto minimalista", disse o FT. "Entretanto, a vitória diplomática do Brasil poderá ainda se mostrar vazia. O País deverá sediar o próximo encontro ministerial da Alca em junho ou julho, apenas algumas semanas antes da data limite para o final das negociações sobre acesso a mercados." Segundo o jornal, apesar da forte redução no alcance do acordo, as negociações poderão ainda encontrar sérias dificuldades para avançar. "Se elas fracassarem, o papel do Brasil como sede poderá tornar mais difícil para o País não ser culpado por isso", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.