Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Vivo perde mercado, mas segue líder em celulares no País

A operadora de telefonia celular Vivo registrou em outubro 27,61% de participação de mercado, com ligeira queda ante os 27,78% de setembro, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Apesar do recuo, a Vivo segue líder no País. A TIM é a vice-líder, com 25,88% de participação de mercado (em setembro era de 25,87%).A terceira colocada é a Claro, que detém 24,89% dos celulares em operação no País. Em setembro, a fatia da Claro era de 24,82%. A Oi vem na seqüência, com 13,27% em outubro, contra 13,21% de participação em setembro.Telemig Celular e Amazônia Celular, adquiridas neste ano pela Vivo, mostraram uma presença de 4,41% no mercado, acima dos 4,37% do mês anterior. O braço móvel da Brasil Telecom manteve os 3,57% registrados em setembro. A CTBC Telecom Celular reduziu a participação de 0,31% para 0,30% e a Sercomtel Celular preservou a fatia de 0,07%.Total de linhasSegundo a Anatel, o número total de celulares no Brasil cresceu 1,71% em outubro, comparativamente ao mês anterior, para 114.690.304 terminais. Houve uma adição de 1.937.040 linhas sobre a base de setembro, o terceiro maior número de adesões ao Serviço Móvel Pessoal (SMP) em 2007. Agosto e maio, com 2.410.232 e 2.215.299 novos assinantes, respectivamente, registraram a primeira e a segunda colocações.Confrontado com outubro de 2006, quando o mercado brasileiro contabilizava 96.641.799 linhas móveis, a alta na base de celulares foi de 18,67%.TecnologiaA tecnologia GSM segue em expansão e na dianteira do mercado, com 86.608.846 acessos, ou 75,52% do total. O CDMA tem 22.091.902 acessos (19,26%) e a TDMA, 5.966.154 (5,20%). A tecnologia analógica AMPS possui apenas 23.402 acessos (0,02% do total).A abrangência do serviço de celulares no País estava em 60,42% em outubro. Em 2006, a densidade era de 53,24%, o que representa um crescimento de 13,48% no ano. A teledensidade é o indicador utilizado internacionalmente para demonstrar o número de telefones em serviço em cada grupo de 100 habitantes.

MICHELLY TEIXEIRA, Agencia Estado

23 de novembro de 2007 | 16h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.