Vivo também negocia iPhone no Brasil, diz presidente

Roberto Lima não quis dar mais detalhes, alegando que conversas são feitas por acionistas internacionais

Gustavo Porto, da Agência Estado,

09 de maio de 2008 | 14h08

O presidente da operadora de telefonia celular Vivo, Roberto Lima, admitiu nesta sexta-feira, 9, que a companhia também negocia com a Apple para trazer o iPhone para o Brasil. Na quarta-feira, a América Móvel, dona da concorrente Claro, anunciou o acordo para trazer o aparelho ao País.  "Não posso dar mais detalhes, mas queremos trazer o iPhone para o Brasil e negociamos isso. Mas as conversas são feitas pelos acionistas internacionais da Vivo", afirmou Lima, que está em Franca, no interior de São Paulo, para anunciar a operação da Vivo em 23 cidades da região. Lima não quis falar sobre as negociações para a integração entre a operadora e a TIM no Brasil, barrada até agora pelo fato de a legislação impedir que um mesma acionista tenha duas companhias de telefonia celular no País. "Isso é um assunto para a Telefónica", resumiu Lima sobre a companhia espanhola que tem participação tanto na Vivo, como na TIM. Para entrar no mercado de Franca (SP), a Vivo investiu R$ 800 mil na aquisição da freqüência de 1,9 gigahertz (GHz) e mais R$ 15,5 milhões na construção da rede de transmissão, em uma loja, bem como na campanha de marketing. Hoje a região paulista já tem como operadoras de celular CTBC, Claro e TIM. Com os novos municípios, a Vivo passa a operar com rede própria em todas as 645 cidades do Estado de São Paulo. "Ainda hoje, a companhia anuncia a mesma operação em Pelotas (RS) e no segundo semestre chega a seis Estados da Região Nordeste do Brasil, de Alagoas ao Piauí", disse Lima.

Tudo o que sabemos sobre:
iPhoneVivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.