Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Vivo terá financiamento de R$ 3 bi do BNDES

Empréstimo é o segundo maior já aprovado pelo banco para uma operadora de telecomunicações; recursos vão para expansão e melhoria da rede

DANIELA AMORIM / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2011 | 03h04

O BNDES aprovou um financiamento de R$ 3 bilhões para a Vivo. O empréstimo foi o segundo maior já concedido pelo BNDES para uma operadora de telecomunicações. Os recursos serão destinados a investimentos na expansão e melhoria da rede, implantação de infraestrutura para novas tecnologias entre os anos de 2011 e 2013, além de pesquisa e desenvolvimento.

Em 2009, o grupo Oi obteve o maior financiamento já desembolsado pelo banco de fomento ao setor, de R$ 4,4 bilhões, para investimentos das quatro empresas do grupo. Em 2006, dos R$ 4,5 bilhões desembolsados para telecomunicações, a Brasil Telecom ficou com uma fatia de R$ 2,1 bilhões. Em 2008, a TIM conseguiu um empréstimo de R$ 1,51 bilhão.

"É um financiamento relevante. É um dos maiores, mas todas as grandes operadoras de telecomunicações têm operações com o BNDES", disse Irecê Fraga Loureiro, gerente do Departamento de Tecnologia de Informação e Comunicação do BNDES. "Desde a privatização (em 1998), o BNDES aprovou operações para o setor de telecomunicações que somam R$ 29 bilhões."

Por meio do financiamento, a Vivo deve ampliar o acesso aos serviços de telecomunicações e permitir um número maior de conexões à internet. Em comunicado, o BNDES informou que o principal investimento da operadora refere-se ao plano de expansão de cobertura 3G e ampliação da capacidade das redes 2G e 3G.

O objetivo é tornar disponível o acesso móvel à internet de terceira geração para mais de 85% da população brasileira até dezembro deste ano. O aumento de capacidade visa dar conta de uma demanda crescente de tráfego de voz e dados, evitando congestionamentos na rede.

Parcelas. O dinheiro deve começar a ser liberado no começo do ano que vem. "O financiamento é em parcelas que vão perdurar até 2013. É para o plano de investimentos da empresa até 2013", disse Irecê.

Dentro do financiamento, também está prevista a ampliação da rede própria da Vivo, chamada backbone, infraestrutura que sustenta o tráfego entre centrais de telecomunicações de um sistema mais amplo, entre cidades. O programa de investimentos inclui, ainda, a construção de um centro de Tecnologia da Informação (data center) em Tamboré, em São Paulo, que será ocupado pela Vivo e pela Telesp, com início das operações previsto para o primeiro semestre de 2012.

"Temos o objetivo de fomentar a aquisição de tecnologia nacional dessas empresas. Então, a ideia é: eu te dou o financiamento se você adquirir isso de empresas nacionais, de empresas com tecnologia nacional", ressaltou a gerente do BNDES. Segundo Irecê, as empresas de telecomunicações, assim como as demais empresas de tecnologia, têm de investir constantemente, para atender a uma demanda crescente por serviços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.