Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão
Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Você faz o planejamento das suas finanças?

Devemos criar um plano prático e viável, com objetivos específicos e mensuráveis

Fábio Gallo*, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2021 | 04h00

Momentos de crise permitem aprendizagem e geram oportunidades. Não é exceção o período que atravessamos. Se quisermos sair desta crise com algum tipo de ganho, temos de pensar sobre quais as tendências à frente e como podemos aproveitá-las. Para isso precisamos planejar hoje, direcionando as ações futuras. 

Podemos reconhecer algumas megatendências em quatro grandes áreas: as mudanças climáticas, a revolução tecnológica, novo equilíbrio geopolítico e mudanças sociodemográficas. Essas tendências trarão grande impactos às nossas vidas, particularmente nossas finanças. E você vai fazer o quê? Esperar até o último segundo para planejar a sua vida financeira? A resposta é não, se você quiser ter um bom nível de bem-estar e até conquistar a sua independência financeira. 

O planejamento financeiro é uma demanda para todos. Pode exigir esforço, mas não o realizar pode trazer um grande arrependimento. Planejar a vida financeira significa estabelecer a sua estratégia para conquistar seus objetivos. Dê o primeiro passo, estabeleça os objetivos da família. Tanto de longo, quanto os de mais curto prazo. 

O que vivemos recentemente mostrou que, além dos objetivos futuros, temos de nos preparar para o inesperado. Muitos choraram por sua situação financeira, mas poucos prepararam um plano para sair dela. 

Situações como essa tornam essencial a preparação e o acompanhamento de um rígido orçamento familiar. Devemos criar um plano prático e viável. Pode ajudar o estabelecimento de objetivos específicos, mensuráveis, orientados para a ação, realistas e com limite de tempo. 

Você pode lançar mão do raciocínio SMART (sigla em inglês). As letras desse acrônimo têm o seguinte significado: Específico (S) – você não pode atingir uma meta a menos que saiba exatamente o que é. Não basta dizer que quer um carro novo. Qual exatamente é o desejado?

Mensurável (M): algo que possa rastrear. Exemplo é um carro de R$ 50 mil. Orientado para a ação (A): o que você fará para alcançar o objetivo (exemplo, quanto economizar por mês). Realista (R): o objetivo é alcançável? Não faz sentido ter como objetivo comprar uma Ferrari economizando R$ 50 por mês. Limite de tempo (T): cada meta deve ter uma data de expiração. No caso de querer comprar a Ferrari com R$50 por mês, o prazo seria superior a 1.000 anos. A conquista de nossos sonhos, viver bem, exige paciência, dedicação e um bom planejamento. Isso não é conquistado do dia para a noite. Quanto antes e quanto mais bem preparado estiver, mesmo que as surpresas surjam no caminho, mais tranquila será a sua jornada. 

* PROFESSOR DE FINANÇAS DA FGV-SP

Tudo o que sabemos sobre:
finanças pessoais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.