Vodafone e ações de tecnologia impõem queda a bolsas européias

A queda do petróleo amorteceu a baixadas ações européias nesta terça-feira, mas não evitou que omercado encerrasse a série de quatro altas seguidas após adecepção com os resultados da Vodafone e a apreensão no setorfinanceiro. De acordo com dados preliminares, o índice FTSEurofirst 300caiu 0,35 por cento, para 1.166 pontos. Nas últimas quatrosessões, o índice acumulou alta de quase 5 por cento. As bolsas de valores européias foram afetadas peloresultado do banco norte-americano Wachovia e pelas previsõestímidas da Apple e da Texas Instruments . A Vodafone foi a principal influência negativa sobre oíndice, com queda de mais de 13 por cento. A maior companhia detelefonia celular do mundo reduziu a previsão de receita no anopara um número perto do piso da projeção anterior. O pessimismo do mercado foi amortecido pela baixa de maisde 5 dólares do petróleo. A queda era relacionada ao alívio coma tempestade no Golfo do México, que não deve atingir grandesinstalações de petróleo e gás. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de0,74 por cento, a 5.364 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,28 por cento, para 6.442pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 avançou 0,12 por cento, a 4.327pontos. Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou com variação positiva de0,07 por cento, a 21.746 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,48 porcento, para 11.610 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve desvalorização de 1,72 porcento, aos 8.663 pontos. (Reportagem de Eva Kuehnen)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.