coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Volatilidade das LFTs pode afetar bancos

A volatilidade das Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), títulos do Tesouro Nacional, deve afetar o balanço dos bancos no segundo trimestre do ano. Ao lado dos fundos mútuos, as instituições financeiras são as principais compradoras de papéis públicos, que entram para a carteira de títulos e valores mobiliários.Analistas e consultores ainda não conseguem precisar o impacto da desvalorização das LFTs. O efeito em cada banco dependerá da composição da carteira, do valor de aquisição dos papéis e de como serão classificados no portfólio, segundo o presidente da Austin Asis, Erivelto Rodrigues.Por causa de uma determinação antiga do Banco Central, os bancos já registravam os ativos pelo valor de mercado ou preço de aquisição - valendo o que é menor. Assim, a marcação a mercado, que começou a ser exigida dos fundos de investimento em maio, não é novidade nas carteiras próprias dos bancos.No entanto, as instituições terão de obedecer a novas regras de classificação dos títulos a partir de 30 de junho. A Circular n.º 3.068 do BC cria três categorias de papéis. Os destinados à negociação serão marcados a mercado e o impacto da operação vai diretamente para os resultados dos bancos. Outra classificação é a dos títulos para venda, embora não destinados ao giro diário, cuja marcação terá o impacto registrado no patrimônio. Por fim, há os papéis para serem carregados até o vencimento, que não precisam ser marcados a mercado.Para Erivelto Rodrigues, os bancos pequenos e médios que não tiverem condições de classificar os títulos no item para carregamento serão os mais prejudicados pela volatilidade das LFTs. Por falta de liquidez, essas instituições podem ter de vender os papéis em momentos de queda dos preços.O analista Fábio Monteiro, do Santander Research, não espera um impacto significativo para os grandes bancos, tanto que não modificou suas projeções de resultado para o trimestre. Ele acredita que, se a desvalorização dos títulos afetar o patrimônio, essa perda será compensada com o lucro certo dos bancos no período.Um consultor lembrou que as instituições podem também ganhar dinheiro nesse ambiente de mercado, comprando e vendendo títulos. "Os bancos negociam muita coisa a toda hora e sabem aproveitar as oportunidades." Monteiro acredita, no entanto, que os bancos podem ter de elevar as provisões para a carteira de títulos. "Quando aumenta o risco de inadimplência, os bancos elevam a provisão para o crédito. Da mesma forma, com o maior risco do mercado, podem aumentar as provisões para títulos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.