Volks começa a demitir no Paraná e metalúrgicos param

A Volkswagen de São José dos Pinhais, no Paraná, iniciou um processo de demissões, segundo informou nesta quinta-feira o sindicato dos Metalúrgicos. Em protesto, os trabalhadores da unidade fizeram duas horas de paralisação pela manhã e pretendem interromper as atividades por mais duas horas no período da tarde. O sindicato estima um corte de 1.420 funcionários até 2008, sendo 940 neste ano de 2006. As dispensas fazem parte de um anúncio feito pela montadora há menos de um mês sobre um processo de reestruturação. Apesar de não informar o número exato de cortes, sindicatos ligados às cinco plantas da montadora no Brasil - São Bernardo do Campo, Taubaté e São Carlos, em São Paulo; Resende, no Rio de Janeiro, e a de São José dos Pinhais - afirmaram que o total giraria em torno de seis mil postos, para os próximos dois anos. Em São Bernardo do Campo, dos 13.900 empregados, 3.600 devem ser demitidos. Em Taubaté, onde 5.400 têm carteira assinada, as demissões somarão 1.420. Um dos motivos alegados pela empresa para as demissões é a valorização do real frente ao dólar e ao euro, o que teria prejudicado as exportações do grupo.

Agencia Estado,

18 de maio de 2006 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.