Malagrine
Malagrine

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Volks faz consórcio de fornecedor para produzir caminhão elétrico

Montadora pretende desenvolver localmente tecnologia de produção, venda e infraestrutura desse tipo de produto

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2019 | 04h00

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) fez parcerias com seis empresas que vão integrar um consórcio modular para a produção de veículos elétricos. No fim de 2020, a empresa iniciará a produção em série do caminhão elétrico e-Delivery e, na sequência, de um ônibus movido a energia elétrica. Para isso, vai replicar no complexo de Resende (RJ) o sistema que reúne montadora e principais fornecedores de peças no mesmo complexo.

Entre as empresas que vão se instalar no e-Consórcio, como será chamado, estão Weg (fabricante de motores elétricos), Moura (que, em parceria com a CATL, fará adaptações em baterias importadas e futuramente nacionalizadas) e Bosch (fornecedora de componentes que já atua no complexo).

A Siemens também será uma das parceiras para fornecimento de infraestrutura, carregadores e energia para clientes da marca. “Teremos um grupo de seis a sete fornecedores”, informa Roberto Cortes, presidente da VWCO. Hoje a produção de veículos a combustão reúne oito fabricantes de componentes.

Tecnologia local

 O projeto foi anunciado ontem pelo executivo na Suécia, em evento sobre inovação realizado pela Traton, grupo que reúne Volkswagen, Scania e MAN. A ideia, diz Cortes, “é criar um ecossistema para desenvolver localmente tecnologias para produção, venda e infraestrutura para veículos elétricos”. O e-Delivey é um produto inédito globalmente, diz.

A empresa já tem encomendas a serem entregues ao longo de quatro anos de cerca de 1,6 mil caminhões elétricos para prestadoras de serviços de entrega para a Ambev. Dois modelos estão em teste pela fabricante de bebidas desde o ano passado. Em 2023, a cervejeira espera que 30% da frota que atende a marca seja eletrificada.

“Temos outras empresas interessadas e também vamos exportar para América do Sul, México, África e talvez outras regiões”, prevê Cortes. O investimento no projeto está contemplado no plano de R$ 1,5 bilhão que será concluído em 2021.

Tudo o que sabemos sobre:
WegVolkswagen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.