Werther Santana/ Estadão - 26/07/2018
Werther Santana/ Estadão - 26/07/2018

Volkswagen vai suspender produção em duas fábricas no País por falta de semicondutores

Fábricas de Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR) terão a produção suspensa por dez dias a partir de 7 de junho; na unidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a decisão de parar ou não será avaliada na quarta

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2021 | 18h30

As fábricas da Volkswagen em Taubaté (SP) e em São José dos Pinhais (PR) terão a produção suspensa por dez dias a partir de 7 de junho em razão da falta de semicondutores para a produção de veículos. Na unidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a decisão de parar ou não será avaliada na quarta-feira.

Os cerca de 4 mil trabalhadores das duas fábricas entrarão em férias coletivas. Somando as unidades do ABC e de São Carlos (SP), onde são produzidos motores, o grupo emprega aproximadamente 13,5 mil funcionários no País. A Volkswagen é a segunda fabricante que anuncia novas paralisações nesta semana.

Na terça-feira, 25, a General Motors informou que vai suspender toda a produção da unidade de São Caetano do Sul (SP) por seis semanas a partir do dia 21 devido à falta de componentes, mas também para adequar a linha de montagem para o início da produção de uma nova picape.

A Nissan informou nesta semana que deve interromper as atividades em Resende (RJ) por cinco dias pelo mesmo motivo e outras montadoras devem adotar a medida ao longo dos próximos dias. No início do mês, a própria Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) alertou que as próximas semanas devem ser as mais complicados em termos de abastecimento de semicondutores e que novas paradas de produção deveriam ocorrer, assim como no início do ano.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) confirma que os cerca de 2 mil trabalhadores dos dois turnos da planta que produz os modelos Gol e Voyage vão ficar em casa nos dez dias de junho, e acrescenta que a fábrica também vai receber um novo ciclo de produtos em breve. No Paraná o grupo produz o Fox e o T-Cross.

Gargalos globais

Em nota, a Volkswagen afirma que uma escassez significativa de semicondutores está levando a vários gargalos de fornecimento em muitas indústrias globalmente. Isso gerou problemas no abastecimento da indústria automotiva ao redor do mundo desde a virada do ano.

O resultado são adaptações em toda a indústria na produção de automóveis. Nos últimos meses, informa o grupo alemão, o time da Volkswagen do Brasil tem trabalhado intensamente e com sucesso, internamente e em parceria com a matriz, para minimizar os efeitos da escassez de semicondutores para a produção em suas fábricas.

Entretanto, diz a nota, “com o agravamento do cenário e com base na situação atual, presumimos que o fornecimento de semicondutores continuará a ser limitado ao longo das próximas semanas. Por essa razão, as fábricas em São José dos Pinhais, no Paraná, e em Taubaté, em São Paulo, suspenderão suas operações por dez dias.

Ontem, ao apresentar o utilitário-esportivo (SUV) da marca, o Taos, fabricado na Argentina, o presidente da Volkswagen na América Latina, Pablo Di Si, afirmou que a produção do novo modelo está normal e que o modelo estará à venda no Brasil no fim de junho, mas os volumes vão depender da disponibilidade de peças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.