Volume de calçados exportados recua 8% no quadrimestre

A quantidade de calçados exportados recuou 8% nos quatro primeiros meses de 2006 ante o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). De janeiro a abril, foram embarcados 70,4 milhões de pares, contra 76,2 milhões nos mesmos meses de 2005. O vice-presidente da Abicalçados, Ricardo Wirth, disse que a elevação do preço médio do produto - medida adotada para compensar a defasagem cambial - teve como conseqüência a perda de volume nas vendas.A entidade mostra que o faturamento também caiu em reais, embora tenha se mantido praticamente o mesmo em moeda estrangeira. No primeiro quadrimestre, foram exportados US$ 626,3 milhões, gerando receita de R$ 1,346 bilhão, à taxa média de R$ 2,15. Em igual período do ano passado, as vendas externas fecharam em US$ 626,1 milhões, com taxa média do dólar em R$ 2,64, e resultaram em receita de R$ 1,653 bilhão.Câmbio Em comunicado, a Abicalçados afirma que o efeito do câmbio é ainda mais acentuado na comparação de abril deste ano com o mesmo mês de 2005. A redução no faturamento foi 9%, enquanto a queda no número de pares vendidos foi de 19%. Deixaram de ser exportados 3 milhões de pares em relação à quantidade exportada em abril de 2005."Há três anos as empresas estão convivendo com uma defasagem substancial entre o preço de venda e o de faturamento, com a contínua valorização de nossa moeda. A redução do custo de produção já atingiu o limite, e a maioria dos exportadores estão operando no vermelho, tendo como reflexo a redução dos postos de trabalho", reclamou Wirth.Em 2005, mais de 20 mil pessoas foram demitidas das empresas de calçados. A entidade estima que, a continuar a redução das vendas ao exterior, mais 25 mil postos devem deixar de existir neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.