Volume de cheques devolvidos bate recorde em março

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos bateu recorde em março, com crescimento de 20,9% sobre fevereiro. O dado, divulgado nesta quarta-feira pela Serasa, mostra ainda que no período foram compensados 166,5 milhões de folhas, sendo que 4 milhões voltaram por falta de fundos - o que correspondeu a um índice histórico de 24,3 cheques devolvidos a cada mil. O recorde anterior, de 20,8 cheques por mil compensados, pertencia a março de 2005, conforme o levantamento iniciado pela companhia de análise de crédito em 1991. Em fevereiro deste ano foi atingido um índice de 20,1, com a compensação de 124,1 milhões e a devolução de 2,5 milhões de cheques. Em relação a março de 2005, quando foram devolvidos 3,5 milhões de cheques sem fundos, de um total de 170,4 milhões compensados, com o índice de 20,8, houve crescimento de 16,8% no mês passado. Sazonalidade Segundo avaliação da Serasa, apesar da inadimplência com cheques bater o recorde histórico, ela ainda é baixa em relação ao emitido pelo mercado e segue a influência da sazonalidade (particularidades de determinados períodos do ano). "Pois 24,3 cheques devolvidos a cada mil compensados significa 2,43%", destacaram os técnicos da empresa. "A concentração de impostos e despesas característicos do início de ano (Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU, Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores - IPVA, matrículas e compra de material escolar) também dificulta o orçamento doméstico no início do ano e tem seu momento mais crítico em março (sobretudo despesas escolares e última parcela do IPVA), o que faz com que, sazonalmente, o mês registre o maior índice de cheques sem fundos do ano." De acordo com a Serasa, o crescimento no primeiro trimestre de 2006 está ainda relacionado ao maior comprometimento da renda dos consumidores com os parcelamentos assumidos em prazos mais longos no Natal de 2005, além do aumento no volume de crédito concedido em todas as modalidades. Acumulado No acumulado do primeiro trimestre, também foi constatado recorde para o período. Foram devolvidos 21,3 cheques sem fundos a cada mil compensados, o que significou alta de 22,4% sobre os três primeiros meses de 2005, quando o indicador foi de 17,4 cheques por mil. De janeiro a março de 2006, foram compensados 447,9 milhões de cheques, dos quais 9,5 milhões voltaram por falta de fundos. No mesmo trimestre do ano passado, o número de compensados totalizou 492,2 milhões, contra 8,5 milhões de cheques devolvidos.

Agencia Estado,

12 Abril 2006 | 14h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.