Volume de cheques devolvidos cresce 19,1% em setembro

Para cada mil cheques compensados, 51 foram devolvidos em setembro por falta de fundos, total 19,1% maior do que a quantidade registrada em setembro de 2002, segundo pesquisa da CheckOk, empresa nacional de verificação eletrônica de crédito. Na comparação entre com agosto, a inadimplência no País apresentou queda pelo segundo mês consecutivo. Dos 191,7 milhões de cheques emitidos em setembro deste ano, 9,7 milhões não tinham fundos. No mesmo mês de 2002, foram devolvidos 42 cheques em cada mil compensados. O levantamento tem como base o número de cheques devolvidos duas vezes.A boa notícia é que, na comparação com agosto deste ano, quando 52 cheques em cada mil foram devolvidos por falta de fundos, a inadimplência caiu 2,7%, o que indica uma tendência de diminuição do número de cheques sem fundo, já que em agosto o número de cheques sem fundos também diminuiu sobre julho (5,8%). A alta da inadimplência em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado foi registrada em 24 Estados e no Distrito Federal. O campeão foi Rondônia, com aumento de 95,7%. Somente os Estados de Pernambuco e Roraima registraram queda, de 4,7% e 73,5%, respectivamente.Em São Paulo, Estado com maior volume de cheques compensados, 75,4 milhões, que representam pouco mais de 39% do total de 191,7 milhões de cheques trocados em todo o País, de cada mil cheques compensados em setembro, 46 foram devolvidos por falta de fundos. Esse total é 15,2% maior do que o registrado em setembro de 2002, quando foram devolvidos 40 cheques em cada mil compensados. Em relação a agosto deste ano, quando foram registradas 48 devoluções em cada mil cheques depositados, houve queda da inadimplência de 5%.Na análise dos cheques devolvidos nas cinco regiões do País foi registrado aumento em todas elas. A região Norte apresentou alta de 25,6%; Centro-Oeste, 23,1%; Nordeste, 22,4%; Sul, 19,7%; e Sudeste, 16,9%, na comparação entre os meses de setembro deste ano e de 2002. Já em relação ao mês de agosto deste ano, houve queda nas regiões Nordeste (2,2%), Sudeste (4,3%), Centro-Oeste (1,1%) e Sul (1,2%). A região Norte teve alta de 0,6%. Mais cheques compensados Segundo o analista financeiro da ABM Consulting Guilherme Castilho, na comparação entre os meses de agosto e setembro deste ano, observa-se um aumento de 9,43% no número de cheques trocados, indicador utilizado para medir a atividade econômica. No comparativo anual, houve queda de 2,06%.A queda da inadimplência verificada nos últimos dois meses e o aumento do nível de atividade econômica devem-se principalmente à política de redução das taxas de juros que o Banco Central vem adotando desde julho. "A tendência é que isso continue refletindo na queda dos juros", afirma Castilho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.