Volume de cheques devolvidos recua 6,2% em relação a 2003

O volume financeiro de cheques devolvidos no Brasil apresentou aumento de 1,7% em setembro, na comparação com o mês de agosto, segundo pesquisa divulgada hoje pela Telecheque. Em relação a setembro de 2003, houve queda de 6,2%. Do total de transações com cheques em reais, a inadimplência foi de 2,29% no mês passado, ante 2,25% em agosto e 2,44% em setembro do ano anterior.De acordo com a empresa, o aumento da inadimplência foi motivado pela compensação de parte dos cheques pré-datados emitidos nas compras do Dia dos Namorados. Já a queda verificada na comparação anual foi justificada pela recuperação econômica do País no segundo semestre de 2004.Segundo a Telecheque, a tendência é de que, em outubro, o índice de cheques devolvidos no País se estabilize, sobretudo por causa do movimento de reabilitação de crédito que o varejo começa a observar nessa época do ano, já que os consumidores passam a se preparar para as compras de Natal.Posição dos estadosNo ranking dos Estados com maiores devoluções de cheques no mês passado, os piores índices foram apurados no Amazonas (3,91%), Rio Grande do Norte (3,24%) e na Maranhão (3,05%). Os melhores índices foram apurados em Santa Catarina (1,43%), Paraná (1,66%) e Rio Grande do Sul (1,83%).Com índice de cheques devolvidos de 2,82%, o Estado de São Paulo apresentou inadimplência 9,6% maior em relação a agosto. O Rio de Janeiro registrou índice de 2,14%, superior em 10%, na comparação com o mês anterior. Em Minas Gerais, a inadimplência de 2,13% foi maior 3,4% em relação à verificada em agosto.Movimentação de chequesO levantamento mostra ainda que o índice de transações com cheques à vista (de 32,9%) cresceu 1,9%, em relação a agosto, e diminuiu 0,4% na comparação com setembro do ano passado. As transações com cheques pré-datados apresentaram queda de 0,9% em relação a agosto e subiram 0,2% em relação a setembro de 2003.De acordo com a pesquisa, 97,08% das transações com cheques foram honradas e ficaram no mesmo patamar do índice registrado em agosto (97,13%). Das transações com cheques pré-datados, 88,42% foram para pagamento em até 60 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.