Gabriel Campos Neto/Itaipu Binacional
Gabriel Campos Neto/Itaipu Binacional

Volume de chuvas acima da média deve manter bandeira verde durante 1º trimestre

Após visita à usina de Itaipu, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou que as precipitações têm permitido a recuperação dos reservatórios das principais hidrelétricas

Fátima Laranjeira, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2018 | 20h41

O volume de chuvas acima da média desde o fim do ano passado deve fazer com que as tarifas de energia elétrica não subam para o consumidor brasileiro, pelo menos até o fim do primeiro trimestre de 2018. Quem afirma isso é o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, segundo informou por comunicado nesta terça-feira, 16, a Itaipu, mesmo dia em que o titular da pasta visitou a usina hidrelétrica em Foz do Iguaçu (PR).

Segundo o ministro, as precipitações têm permitido a recuperação dos reservatórios das principais usinas hidrelétricas, o que levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sinalizar que o regime de bandeiras tarifárias permanecerá verde (sem custo adicional) nos três primeiros meses do ano. 

++Após recomendação do BC e do MPF, Temer afasta 4 vice-presidentes da Caixa

As tarifas ficam mais caras (bandeiras amarela ou vermelha 1 e 2) quando falta chuva e as usinas térmicas são acionadas para atender a demanda.

"O sistema (elétrico nacional) é interligado e a gente veio de cinco ou seis anos de chuvas abaixo da média nos maiores reservatórios. Mas os resultados de novembro, dezembro e dos primeiros dias de janeiro (de 2018) têm sido muito animadores", avaliou.

Coelho Filho esteve na Itaipu para uma série de compromissos, entre eles, a inauguração oficial do Centro de Inovação em Mobilidade Elétrica (CI-MES) e a assinatura de um acordo de cooperação, entre Itaipu e Ministério do Meio Ambiente, para a implantação do Programa de Mobilidade Sustentável nos Ministérios.

++Se não for em fevereiro, não vota mais, diz Maia sobre a Previdência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.