Coluna

Fabrizio Gueratto: como o investidor pode recuperar suas perdas no IRB Brasil

Volume de crédito sobe, juro e inadimplência recuam, aponta BC

O volume de operações de crédito teve, em abril, um crescimento de 2,1%. O valor do estoque dos empréstimos bancários, com isso, passou dos R$ 416,759 bilhões (25,8% do PIB) para 425,659 bilhões (26% do PIB). Nas operações com recursos livres de direcionamento obrigatório, a expansão do crédito registrada pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC) ficou em 3,1% em abril com relação a março. Os empréstimos com recursos direcionados, por sua vez, apresentou crescimento de apenas 0,3% no mês, enquanto as operações de crédito ao setor público cresceram 7,8%. Em março, a expansão total das operações de crédito havia ficado em apenas 1,1%.A taxa de juros dos empréstimos bancários lastreados em recursos livres de direcionamento obrigatório teve um recuo de 0,6 ponto porcentual em abril. Com isso, as taxas cobradas pelos bancos saiu dos 45,3% de março para 44,7% ao ano em abril. Os juros pagos pelas pessoas físicas tiveram, no mesmo período, queda de 0,7 ponto porcentual, recuando dos 64% de março para 63,3% ao ano no mês passado.As taxas dos empréstimos às pessoas jurídicas, por sua vez, caíram 0,5 ponto porcentual dos 30,4% de março para 29,9% ao ano em abril. Num período de 12 meses até abril, os juros dos empréstimos bancários acumulam uma queda de 13,2 pontos porcentuais, sendo 21,8 pontos porcentuais das operações com pessoas físicas e 9,1 pontos porcentuais dos empréstimos às pessoas jurídicas.O spread (diferencial de taxas de captação e aplicação dos recursos do sistema financeiro) teve, por sua vez, uma queda de 0,5 ponto porcentual em abril, passando dos 29,5 pontos porcentuais de março para 29 pontos porcentuais. Nas operações com pessoas físicas, o spread recuou 0,7 ponto porcentual, caindo dos 48,6 pontos porcentuais de março para 47,9 pontos porcentuais. O spread pago pelas pessoas jurídicas teve uma redução de 0,5 porcentuais, passando dos 14,4 pontos porcentuais de março para 13,9 pontos porcentuais.InadimplênciaA taxa de inadimplência dos empréstimos bancários feitos com recursos livres de direcionamento teve queda de 0,2 ponto porcentual em abril com relação a março. Com a variação, a taxa passou dos 7,9% de março para 7,7%. O porcentual é semelhante ao verificado em dezembro de 2002. Nos empréstimos às pessoas físicas, a inadimplência passou dos 13,9% de março para 13,4%, enquanto a das operações com pessoas jurídicas aumentou de 3,9% para 4%.O prazo médio das operações de crédito, por sua vez, aumentou dos 224 dias de março para 225 dias em abril, com o prazo médio dos empréstimos às pessoas físicas passando de 287 para 283 dias e o das operações com pessoas jurídicas subindo de 181 para 186 dias.Juros ao consumidorAs taxas de juros do cheque especial caíram em abril com relação a março de 142% para 140,2% ao ano. A queda dos juros acumulada em 12 meses, com isso, passou a ser 38,3 pontos porcentuais. Os juros do crédito pessoal, por sua vez, recuaram de 76,5% para 75,3% ao ano, com queda acumulada de 23,4 pontos porcentuais em 12 meses. As taxas do financiamento bancário para a aquisição de bens variou, por sua vez, dos 38,8% de março para 38,5% ao ano no mês passado.

Agencia Estado,

25 de maio de 2004 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.