Divulgação
Divulgação

Volume de fusões e aquisições no primeiro semestre é o maior desde 2010

Resultado, que totalizou R$ 84 bilhões, foi puxado pela operação de fusão entre Suzano e Fibria, que movimentou R$ 47,7 bilhões

Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2018 | 14h14

O volume de transações de fusões e aquisições no primeiro semestre deste ano somou R$ 84 bilhões, sendo, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), o maior desde 2010. O montante é puxado pela operação de fusão da Suzano com a Fibria, que movimentou R$ 47,7 bilhões, a maior transação realizada desde 2008. Em relação ao mesmo período do ano passado, o número representa um crescimento de 54,8% nas fusões e aquisições.

O coordenador do Subcomitê de Fusões e Aquisições da Anbima, Dimas Megna, afirmou que  o volume de fusões e aquisições previsto para este ano deve ficar em linha ao realizado em anos anteriores, apesar da turbulência pré-eleitoral.  "Tivemos um primeiro semestre ativo e diante das transações já anunciadas no começo deste segundo semestre, posso dizer que o resultado será alinhado com anos anteriores", comentou. 

No entanto, ele  acredita que pode haver uma redução nas atividades do mercado de fusões e aquisições por conta de incertezas eleitorais. "É claro que daqui até o final do ano pode haver uma redução da atividade por conta da incerteza e pluralidade de respostas para temas importantes, em contrapartida ao que vimos no começo do ano, em que o mercado de fusões e aquisições aquecido esteve ancorado na pauta da recuperação econômica".

A Anbima notou ainda que o número de operações acima de R$ 1 bilhão cresceu em participação nos seis primeiros meses de 2018, para 20,9% do total de operações realizadas, contra 17,1% no mesmo intervalo do ano passado.

Mais conteúdo sobre:
fusão de empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.