JF DIORIO/ESTADÃO
JF DIORIO/ESTADÃO

Volume de fusões e aquisições cai 74% no 1º semestre, diz Anbima

Esse é o menor volume para um primeiro semestre nos últimos seis anos; o número de operações somou 35 no período, recuo de 43,5%

FERNANDA GUIMARÃES, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2015 | 09h49

SÃO PAULO -  O volume de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês), ofertas públicas de aquisições de ações (OPAs) e reestruturações societárias somou R$ 18,2 bilhões no primeiro semestre do ano, o que representa uma queda de 74% em relação ao observado no mesmo período do ano passado, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 20, pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).  

A entidade destaca que esse é o menor volume para um primeiro semestre nos últimos seis anos. Em número de operações, foram ao todo 35 no período, recuo de 43,5% na mesma base de comparação.

As duas maiores operações do semestre, destaca a Anbima em boletim, foram a venda da Moy Park Europe pela Marfrig à JBS, por R$ 4,6 bilhões, e a fusão da Santander Asset Management Brasil com a Pioneer, controlada pela Unicredit, por R$ 2,3 bilhões. A entidade frisa que as demais operações do período foram menores que R$ 1 bilhão.

Ainda no boletim, a Anbima afirma que aquisições de empresas brasileiras por estrangeiras corresponderam por 43,2% do volume total alcançado no período.  

Além disso, os fundos de private equity estiveram presentes em 14 das 35 operações no semestre, representando R$ 5,5 bilhões. "Embora em termos absolutos tenha ocorrido uma redução no número de operações com a participação de fundos - reflexo direto do desaquecimento dos anúncios no período - em termos relativos o envolvimento dos fundos cresceu neste primeiro semestre de 2015 em relação a igual período do ano anterior, passando de 35,5% para 40% do total", destaca a entidade. 

Tudo o que sabemos sobre:
economiafusões e aquisiçõesanbima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.