Volume de papéis lançados por empresas ultrapassa R$ 100 bi

O lançamento de debêntures tem sido uma alternativa muito procurada pelas empresas para captar recursos. As debêntures são títulos emitidos por empresas. Elas oferecem uma taxa de juros como prêmio na captação de recursos. Ou seja, para receber este rendimento, o investidor empresta recursos à empresa que, no vencimento do papel, devolve os recursos para o investidoracrescido de juros.A Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima) informou hoje, em nota à imprensa, que o Sistema Nacional de Debêntures (SND) superou a marca histórica de R$ 100 bilhões em títulos custodiados. A Andima, que define diretrizes e políticas do sistema, prevê que o mercado desses papéis continuará crescendo este ano. Isso porque as emissões em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) somam cerca de R$ 1 bilhão e os saldos dos programas registrados com distribuição até 2008, mais R$ 27 bilhões.Segundo a Andima, de janeiro até agora, o volume registrado na CVM já alcançou R$ 44,2 bilhões, mais que o total dos registros realizados no ano passado. "O crescimento do mercado de debêntures confirma a adequação desse instrumento de captação não apenas às necessidades das empresas, mas também aos interesses dos investidores, que progressivamente vêm ampliando a parcela de seus recursos aplicados no segmento", diz nota da Andima.Em 18 anos, o SND tem cerca de 1.500 séries de debêntures, de mais de 450 empresas emissoras.A Câmara de Custódia e Liquidação (Cetip) cuida da parte operacional do sistema. Por meio do SND, se registra a custódia e se faz negociações, da emissão primária ao resgate final, de quase todas as debêntures emitidas pelas empresas brasileiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.