Volume de serviços prestados cai 5,9% em março

Volume de serviços prestados cai 5,9% em março

Foi 12º resultado negativo consecutivo e o pior desempenho para o mês da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 12h35

RIO - O volume de serviços prestados recuou 5,9% em março de 2016 ante igual mês de 2015, já descontados os efeitos da inflação, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o 12º resultado negativo consecutivo e o pior desempenho para o mês da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em 2012. Em fevereiro de 2016 ante fevereiro de 2015, a taxa foi revisada de -4,0% para -3,9%.

Já no acumulado do 1º trimestre de 2016, o volume recuou 5% ante o mesmo período do ano passado. O resultado mantém a sequência de variações negativas, mas atenua o ritmo de redução registrado no último trimestre de 2015, quando caiu 5,7%.

"Em relação ao quarto trimestre, houve ligeira melhora, caiu menos. Mas é cedo para falar que é uma recuperação. Não dá para afirmar isso", avaliou Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Os serviços profissionais, transportes e informação puxaram o mau desempenho no primeiro trimestre do ano. Os Serviços profissionais, administrativos e complementares encolheram 6,7%; os Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, caíram 5,2%; e os Serviços de informação e comunicação diminuíram 4,4%. Os três segmentos possuem o maior peso na estrutura do setor de serviços.

"Serviços de informação conseguiram passar 2015 com crescimento real, mas não resistiram. Passaram a ter variações negativas. Esse é um setor realmente que reflete mais essa questão do desaquecimento da economia, porque é um setor mais dinâmico", contou Saldanha.

Desde outubro de 2015, o IBGE divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal caiu 0,4% em março ante igual mês de 2015.

Com o resultado de março, o volume de serviços prestados acumulou queda de 5,0% no ano e recuo de 4,4% em 12 meses.

A série da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) foi iniciada em janeiro de 2012. Ainda não há dados com ajuste sazonal (que permitem a análise do mês contra o mês imediatamente anterior), porque, segundo o IBGE, a dessazonalização requer a existência de uma série histórica de aproximadamente quatro anos. 

Segmentos. Os setores de informação e comunicação e de transportes foram os principais responsáveis pelo mau desempenho do setor em março. Os Serviços de informação e comunicação contribuíram com -2,3 pontos porcentuais para a taxa global, enquanto Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio também tiveram impacto de -2,3 pontos porcentuais.

Já os Serviços profissionais, administrativos e complementares foram responsáveis por uma influência de -1,2 ponto porcentual, e os Serviços prestados às famílias contribuíram com -0,2 ponto porcentual. Na direção oposta, o segmento de Outros serviços teve ligeira contribuição positiva de 0,1 ponto porcentual.

 

Mais conteúdo sobre:
Serviços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.