Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Volume de serviços tem pior desempenho registrado em maio desde 2012

Na comparação com maio do ano anterior, recuo foi de 6,1%; este é o 14º resultado negativo consecutivo

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2016 | 09h42

RIO - O volume de serviços prestados recuou 0,1% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 13, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Com o resultado de maio, o volume de serviços prestados acumulou queda de 5,1% no ano e recuo de 4,8% em 12 meses. Já a comparação com maio do ano anterior mostrou recuo de 6,1%, já descontado o efeito da inflação. Este foi o 14º resultado negativo consecutivo e o pior desempenho para o mês dentro da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em 2012. 

O setor de serviços registrou em maio perdas disseminadas entre as atividades. Um dos segmentos mais pesados, os serviços de transportes e correio registraram retração de 9,1% em maio em relação ao mesmo período do ano anterior.

A queda também foi acentuada nos serviços profissionais e administrativos, que recuaram 7,8% em maio ante maio de 2015. Os serviços prestados às famílias encolheram 7,0%; serviços de informação e comunicação caíram 2,6%; e o segmento de outros serviços diminuiu 6,2%.

Na passagem de abril para maio, a perda de 0,2% no volume de serviços prestados de comunicação e informação impediu uma recuperação no setor de serviços como um todo. "Esse é o setor que mais pesa. Os outros setores tiveram realmente crescimento, mas informação e comunicação foi suficiente para puxar para baixo o resultado geral", confirmou Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

O segmento de informação e comunicação responde por mais de um terço da pesquisa.

Na passagem de abril para maio, o volume prestado cresceu nos segmentos de Serviços profissionais, administrativos e complementares (0,7%), Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,5%) e Outros serviços (1,2%).

Já os Serviços prestados às famílias mostraram estabilidade (0,0%), e o agregado especial das Atividades turísticas cresceu 0,4% em maio ante abril.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal caiu 0,7% em maio ante igual mês de 2015.

A série da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) foi iniciada em janeiro de 2012. A divulgação de hoje foi a primeira a trazer dados com ajuste sazonal (que permitem a análise do mês contra o mês imediatamente anterior), porque, segundo o IBGE, a dessazonalização necessitava de uma série histórica de aproximadamente quatro anos. 

Mais conteúdo sobre:
Serviços Ibge

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.