bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Volvo dá férias coletivas a 700 empregados em Curitiba

A Volvo do Brasil, instalada na Cidade Industrial de Curitiba, concedeu hoje férias coletivas para cerca de 700 trabalhadores do setor de caminhões pesados. Outras cerca de 400 pessoas que fabricam caminhões leves já estão em férias, devendo retornar ao trabalho no dia 9 de março.A Volvo foi a primeira entre as montadoras de veículos de Curitiba e região metropolitana a anunciar medidas em decorrência da crise. No dia 1º de dezembro do ano passado, 430 funcionários (250 com contratos temporários e 180 do quadro efetivo) foram demitidos.As férias coletivas devem-se à retração do mercado. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), em janeiro deste ano houve um decréscimo de 24,45% na venda de caminhões em comparação com dezembro de 2008. Para evitar que demissões fossem realizadas, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba assinou um acordo com a Volvo, estabelecendo que a empresa manterá o nível médio de emprego até 31 de maio. "Mas entre nós foi acertado que não haverá demissões", adiantou o vice-presidente do sindicato, Nelson Silva de Souza.Pelo acordo, assinado na manhã de hoje, enquanto centenas de funcionários faziam uma manifestação em frente à empresa, a Volvo prorrogou a política de banco de horas, que venceria em junho, para dezembro de 2010. Aqueles que folgarem por conta da crise compensarão os dias parados posteriormente. Segundo Souza, se, apesar dessas medidas, a empresa ainda alegar necessidade de demissões, elas serão negociadas com o sindicato. O acordo prevê que, nesse caso, o trabalhador receberá indenização de um a quatro salários, dependendo dos anos de casa, e terá garantia por três meses do plano de saúde."A Volvo tem buscado todas as alternativas possíveis para garantir o nível de emprego dos trabalhadores e se adequar aos volumes atuais de produção num cenário internacional de crise econômica, que repercute no setor de transportes", disse o diretor de Recursos Humanos e Assuntos Corporativos da Volvo, Carlos Morassutti. "Este acordo de banco de horas é um instrumento muito importante para nos adequar a este momento e traz benefícios tanto para os trabalhadores como para a Volvo."

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2009 | 18h06

Tudo o que sabemos sobre:
empregoférias coletivasVolvo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.