bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Vôos internacionais e nacionais da Varig diminuem

A participação da Varig no mercado doméstico de passageiros caiu para 14,4% do fluxo total em maio. A conta, realizada pela representatividade de passageiros transportados por quilômetro pago, mostra queda de 32,6% em relação a igual mês de 2005, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Departamento de Aviação Civil (DAC). Em maio do ano passado, o grupo Varig participava com 26,52% do mercado. No mercado internacional, a queda foi de 29,3%. Com isso a participação da empresa aérea nesse segmento caiu para 66,5% ante os 79,2% que computava há um ano. O mercado como um todo, segundo o DAC, registrou queda de 15,8% no movimento de maio em relação a maio do ano passado.Entre as grandes companhias aéreas, a Varig foi a única que apresentou queda num mês em que o fluxo de passageiros registrou aumento de 24,3%. Com isso, a TAM e a Gol ampliaram ainda mais as suas participações no mercado. Com resposta de 45,6% e 33,6% dos passageiros transportados, respectivamente. Em maio do ano passado, estes números estavam, na mesma ordem, em 42,7% e 27,2%.Em termos relativos, porém, as novatas BRA e OceanAir registraram maior aumento, com acréscimos de 249,7% e 158,2%, respectivamente. Com isso, a BRA passou a ter uma participação de 3,54% no mercado (1,26% em maio de 2005) e a OceanAir de 0,76% (0,36% em maio de 2005). Outras 13 empresas disputam o mercado doméstico de transporte de passageiras, mas todas têm participações inferiores a 1%, conforme os dados do DAC.Mercado internacional Segundo a Anac, no levantamento de mercado internacional, porém, não são incluídas as empresas internacionais que fazem serviço aéreo para o Brasil, como a American Airlines, United Airlines, Air France ou TAP. Os dados referentes a essas companhias são computados com defasagem de vários meses pelo DAC, órgão que está sendo substituído em sua função de regulador e controlador do fluxo aéreo no País pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Essas empresas já respondem por mais de metade do mercado brasileiro de vôos internacionais.Assim como no mercado doméstico, a TAM e a Gol conseguiram capturar parte do mercado perdido pela Varig. A TAM registrou acréscimo no movimento de 45,8%, com a sua participação nesse segmento do mercado subindo para 28,6%, com aumento de mais de 12 pontos percentuais em relação aos 16,5% registrados em maio de 2005. A Gol aumentou o número de passageiros transportados em 105%, com a sua participação subindo de 1,84% para 4,47%, pelos dados do DAC.Geral Ainda, segundo a Anac, o número de passageiros pagos por quilômetros transportados no mercado doméstico em maio somou 3,365 milhões. Isso representou um índice de 71% em relação aos assentos oferecidos, que totalizaram 4,587 milhões e uma melhoria expressiva em relação aos 66% registrados em maio de 2005, o que indica maior eficiência das empresas aéreas em ocupar os assentos oferecidos.A TAM transportou o maior número de passageiros, com um total de 1,490 milhão, com índice de ocupação de 73% em relação ao total oferecido. O índice da Gol foi ligeiramente acima, com 74%, transportando 1,098 milhão de passageiros. A Varig, que viu a sua participação despencar no mês passado, registrou índice de ocupação de 65%, transportando 470 mil passageiros por quilômetro. Os índices das três empresas são melhores do que os registrados em maio do ano passado, à exceção da Gol, que se manteve inalterado.Queda na ocupação No mercado de vôos internacionais atendidos pelas empresas brasileiras, o índice de ocupação de maio caiu para 66% em relação aos assentos oferecidos, o que configura uma piora ante o índice de 69% registrado em maio de 2005. Ao todo, segundo o DAC, foram transportados 1,613 milhão de passageiros por quilômetro ante a oferta de 2,448 milhões de ofertas assentos por quilômetro. Nesse segmento, a Varig transportou 1,071 milhão de passageiros por quilômetro, com índice de 64%. O índice de ocupação da TAM foi bem melhor, com 74% (460,56 mil passageiros/km), enquanto o da Gol atingiu 62% (72,09 mil passageiros/km). Em termos de taxa de ocupação o melhor índice foi da BRA, com a ocupação de 90% dos assentos oferecidos, com 4,963 mil passageiros/km transportados.Este texto foi atualizado às 15h44.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.