Votação do marco civil da internet deve ser adiada

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou nesta terça-feira, 29, a votação do Marco Civil da Internet deve ficar para a próxima semana se não for fechado acordo sobre o texto. O projeto está trancando a pauta da Casa. Se não for votado, a Câmara poderá analisar apenas Propostas de Emenda à Constituição (PECs) e o Código de Processo Civil.

EDUARDO BRESCIANI, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 11h50

Em rápida entrevista ao chegar à Casa, Alves disse que vai consultar o relator, Alessandro Molon, para saber se é possível votar o projeto que cria uma espécie de ''Constituição da Internet''. "Vou ver com o relator se acordaram o texto. Se não, só semana que vem", afirmou. "É melhor levar um texto acordado para evitar obstrução e dificuldades no plenário", complementou.

O projeto tem como alguns dos pontos de embate no Congresso a obrigatoriedade de armazenamento de dados no Brasil e a chamada neutralidade da rede, que obriga os provedores a liberar a mesma velocidade de acesso para todos os conteúdos na internet. A responsabilização de provedores por publicação de conteúdos ilegais é outro ponto polêmico do texto.

Tudo o que sabemos sobre:
internetlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.