Votação no Senado ameaça credibilidade fiscal do Brasil--Fitch

A aprovação pelo Senado brasileiro demedidas que podem elevar os gastos do governo e aumentar odéficit do sistema previdenciário é negativo para a"credibilidade fiscal" do país, afirmou a agência declassificação de risco Fitch nesta sexta-feira. O Senado aprovou na quarta-feira um projeto que, seaprovado pela Câmara, estabelecerá que as aposentadorias sejamreajustadas pelo mesmo índice de aumento do salário mínimo,elevando os gastos em cerca de 4,5 bilhões de reais este ano,segundo estimativas do governo divulgadas pela mídia local. Além disso, alguns bilhões de reais adicionais podem serredirecionados para o sistema público de saúde em 2008, segundooutro projeto aprovado pelo Senado. Os projetos ainda podem ser vetados pelo presidente, LuizInácio Lula da Silva, se aprovados pela Câmara. "Se transformadas em lei, essas medidas podem minar oprogresso feito no país na contenção do déficit da PrevidênciaSocial nos últimos anos", disse Shelly Shetty, analista-chefeda Fitch no Brasil, em comunicado. "Além disso, o aumento nas despesas correntes pode elevar arigidez orçamentária, potencialmente levando a uma maiordeterioração da qualidade dos gastos do Brasil", acrescentou. Shetty afirmou que o Brasil deveria reduzir os gastoscorrentes e cortar impostos com o intuito de impulsionar osinvestimentos e o crescimento. A Fitch atualmente classifica o Brasil como "BB+", uma notaabaixo do grau de investimento, com perspectiva estável. (Por Walter Brandimarte)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.