Votorantim busca controle de mineradora peruana Milpo

A metalúrgica brasileira Votorantim lançounesta quinta-feira uma oferta de cerca de 422 milhões dedólares para comprar as ações adicionais da mineradora peruanaMilpo em um negócio, que segundo analistas do mercado, poderialevar a empresa a tomar o controle da companhia andina. A Votorantim Metais, a terceira maior produtora mundial dezinco, sinalizou em comunicado à Bolsa de Valores de Lima quebusca comprar até 147.151.328 ações ordinárias com direto avoto a 2,87 dólares por cada. A empresa afirmou que sua oferta de compra representa 20,93por cento das ações emitidas e 26,12 por cento do total deações em circulação. A Votorantim já possui 24,88 por cento dos papéis emcirculação, com as quais somadas às ações que pretende adquirirchegam a 51 por cento dos papéis em circulação. "Para a Conasev (supervisora de valores), se uma empresatem 50 por cento mais um das ações em circulação, já tem ocontrole", disse um funcionário da supervisora. As ações da Milpo, uma das maiores produtoras de zinco doPeru, subiram 15 por cento, 8,05 soles, no fechamento da bolsaperuana. "O preço da oferta representa um prêmio de 27 por centosobre o preço médio dos últimos 30 dias", afirmou a Votorantimem comunicado. A Votorantim, cuja oferta pelas ações da Milpo permanecerávigente até o dia 23 de abril, emitiu uma carta de crédito emgarantia para aproximadamente 422,3 milhões de dólares, atravésdo JPMorgan Chase. "Para nós é interessante saber que um sócio, que já é umconhecido nosso, se interesse por essa operação.Definitivamente os resultados são bons, as perspectiva também eé importante que isso seja reconhecido no mercado", disse ochefe corporativo de Imagem e Comunicação da Milpo, JuanAlberto Flores. "Se o objetivo da Votorantim se concretizar, ela estariabuscando o controle por que ela já tem uma participação forte",afirmou Flores, confirmando que nos próximos dias a diretoriada Milpo emitirá um comunicado. A Milpo que se dedica a extração de zinco, chumbo e cobre,opera em quatro minas, Cerro Lindo, El Porvenir e Chapi noPerú, e a mina de Iván no Chile. A Votorantim controla a refinaria peruana Cajamarquilla dezinco, localizada perto de Lima, comprada em 2004 poraproximadamente 210 milhões de dólares da empresa canadenseTeck Cominco. O Perú é o segundo maior produtor de cobre e zinco domundo. (Reportagem de Ricardo Serra)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.