Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Votorantim investe R$ 1 bilhão no Peru

Grupo amplia a exploração de zinco e se torna o 4º maior produtor do mundo

Agnaldo Brito, O Estadao de S.Paulo

25 de setembro de 2007 | 00h00

A Votorantim Metais (VM) anunciou ontem, em Lima, no Peru, um investimento de US$ 500 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) na expansão da unidade de zinco metálico de Cajamarquilla. O aporte de novo capital na fábrica peruana será feito em duas etapas.A primeira, de US$ 100 milhões, eleva a produção de 130 mil para 160 mil toneladas por ano. A ampliação da capacidade industrial ocorre ainda este mês. A segunda implicará investimento de US$ 400 milhões e permitirá transformar a unidade peruana numa das maiores fábricas de zinco metálico do mundo, com capacidade para 320 mil toneladas por ano a partir de 2009.O plano de investimento da companhia brasileira seria apresentado ontem à noite ao presidente peruano, Alan Garcia. A unidade de Cajamarquilla já era controlada pela Votorantim. A fábrica foi adquirida por US$ 210 milhões em 2004 e hoje emprega 600 trabalhadores. Com o crescimento da capacidade industrial, esse número subirá para 800.Segundo João Bosco Silva, diretor-superintendente da VM, a área de zinco da empresa (somadas as produções do Peru e do Brasil, onde a empresa tem duas unidades industriais) atingirá volumes de 600 mil toneladas por ano, o que a torna a quarta maior produtora mundial de zinco metálico.O produto é o principal negócio da Votorantim Metais. Responderá, este ano, por 40% das receitas da empresa. O níquel e a produção de aço vêm em seguida, com 30% do faturamento cada área. A participação do zinco caiu por causa da valorização do níquel.NOVO PRODUTOA expansão da produção de zinco no Peru dará à Votorantim Metais um novo produto, o índio metálico. Minério associado à produção de zinco, o índio metálico é usado pelos fabricantes de telas de cristal líquido (LCD) como eletrodo condutor. O desenvolvimento do processo industrial de beneficiamento desse minério foi feito por técnicos da Votorantim Metais do Brasil e do Peru.Segundo Bosco, o índio metálico tem alto valor no mercado mundial. ''''O preço alcança US$ 700 o quilo'''', diz. A produção será pequena: 38 toneladas por ano na primeira fase e 76 toneladas na fase final do projeto de expansão.INVESTIMENTOSA Votorantim Metais pretende ser auto-suficiente em minério de zinco. A empresa já detém 25% do capital da Milco, no Peru, mas desenvolve pesquisa mineral em duas novas áreas. ''''Há dois projetos de pesquisa mineral em andamento no Peru. A expectativa é que até 2010 esses projetos estejam em produção'''', afirma Bosco.Esse é o segundo investimento externo anunciado pela Votorantim Metais neste ano. Em maio, a empresa anunciou a aquisição de 52% das ações da Siderúrgica Paz del Rio, produtora de aços longos situada na Colômbia. O investimento para a aquisição dessa participação chegou a US$ 489 milhões. Raul Calfat, diretor-geral da Votorantim Industrial - que controla a VM - disse que o grupo também observa novas oportunidades de investimento na área de metais no exterior, mas descartou qualquer negociação neste momento.VOTORANTIM NO EXTERIORZinco metálico: Votorantim adquiriu a unidade de produção de zinco metálico, em Cajamarquilla, em 2004. O valor do negócio foi de US$ 210 milhõesÍndio metálico: A elevação da capacidade de produção de zinco até 2009 dará à Votorantim a chance de explorar um novo metal, o índio metálico, usado na fabricação de telas de cristal líquidoMineração: Além de deter 25% do capital da mineradora Milco, no Peru, a Votorantim tem investimentos na pesquisa mineral em duas áreas. O objetivo é alcançar a auto-suficiência em 2010Siderúrgica: Em maio, a VM anunciou a compra de 52% do capital da Siderúrgica Paz del Rio, localizada na Colômbia. O valor do negócio foi de US$ 489 milhõesCimento: A Votorantim Cimentos tem sete unidades na América do Norte e uma na Bolívia. Está no exterior desde 2001, quando adquiriu a St. Marys Cement, em Ontário, no Canadá. Em 2003, comprou 50% da Suwannee American, nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.