VW do México fecha acordo para evitar demissão de 2 mil

A Volkswagen do México fechou um acordo com o sindicato para evitar a demissão de 2 mil empregados que tinha sido anunciada anteriormente. A montadora anunciou, ontem à noite, que os 9.800 funcionários sindicalizados da sua fábrica de Puebla, a cerca de 125 quilômetros do sudeste da capital, aceitaram a proposta de redução da jornada de trabalho de cinco para quatro dias, com conseqüente diminuição dos salários. A VW pretendia enxugar a produção em 23% e despedir parte dos trabalhadores, a partir de agosto, para se adequar ao declínio das exportações do México para os EUA e outros mercados. Depois de várias semanas de negociações, a companhia fechou o acordo, que incluirá a participação dos governos estatal e federal. Com apoio do poder público, serão criados programas de capacitação e concedidas bolsas para compensar os trabalhadores que terão seus salários reduzidos. No primeiro semestre de 2003, a Volkswagen exportou 80% dos 152.000 veículos fabricados em Puebla, que começará a produzir no próximo ano o modelo "Bora". A fábrica de Puebla é a única que fabrica o Novo Beetle e é a maior empregadora da indústria automotiva no México. Desde 2000, a empresa já demitiu 2.500 pessoas. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.