finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

VW investe R$ 360 mi em nova unidade em Taubaté

Investimento faz parte de um pacote de R$ 6,2 bilhões a serem investidos no Brasil pela empresa até 2014

João Carlos de Faria, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2011 | 00h00

O presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, anunciou ontem investimento de R$ 360 milhões em uma nova unidade de pintura na fábrica de Taubaté (SP), que vai ajudar a ampliar a produção de 1.050 para 1.300 carros ao dia.

O investimento faz parte de um pacote de R$ 6,2 bilhões a serem investidos no Brasil até 2014, conforme anunciado em novembro de 2009. De acordo com Schmall, novos modelos devem ser fabricados em Taubaté, mas não definiu quais. "Precisamos renovar nosso portfólio e, no futuro, poderá haver novas montagens, mas não posso falar sobre quais seriam esses modelos". A fábrica produz os modelos Gol e Voyage.

A nova unidade de pintura deverá entrar em operação em 2012. Schmall não disse quantos empregos serão gerados. "Isso passa por negociações com o sindicato, considerando-se a estrutura produtiva da fábrica e até a possível redução de jornada."

Segundo o executivo, a tecnologia a ser utilizada na nova unidade se compara ao que já existe em várias partes do mundo. Serão utilizados 70 robôs, tornando a pintura externa e interna dos veículos 100% automatizada, eliminando uma camada de tinta, com mais qualidade. "É uma tecnologia nova, que também traz ganho ambiental, pois serão menos resíduos a serem lançados no meio ambiente", explicou o coordenador técnico da nova unidade, Samuel Kratz.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, Isaac do Carmo, disse que recebe com boas expectativas os investimentos da empresa. "Isso viabiliza a fábrica pelo menos por mais uns 20 anos e aumenta o potencial de gerar novos postos de trabalho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.