Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Wal-Mart registra 7ª queda trimestral em vendas nos EUA

Rede perdeu clientes para lojas de menor porte e disse que levará tempo para reverter o cenário 

Reuters,

22 de fevereiro de 2011 | 11h34

O Wal-Mart apresentou nesta terça-feira a sétima queda trimestral consecutiva em vendas nos Estados Unidos e afirmou que levará tempo para reverter o cenário no mercado norte-americano.

A maior rede varejista do mundo tem enfrentado desafios após ter perdido clientes para lojas de menor porte, que vendem produtos a preços mais baixos.

"Algumas da questões envolvendo preços e marketing foram mais graves do que esperávamos inicialmente, e exigirão uma resposta que levará tempo para ter resultados", disse o presidente-executivo do Wal-Mart, Mike Duke, em nota.

A companhia prevê que as vendas pelo conceito mesmas lojas - que considera aquelas abertas há pelo menos 12 meses - nos EUA no primeiro trimestre deste ano registrem queda de 2% ou fiquem estáveis.

O grupo teve lucro de US$ 5,02 bilhões, ou US$ 1,41 por ação, no trimestre encerrado em 31 de janeiro, acima dos US$ 4,82 bilhões, ou US$ 1,26 por ação, um ano antes.

Excluindo itens extraordinários, o lucro foi de US$ 1,34 por ação, comparado a estimativa de US$ 1,31 segundo pesquisa da Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas globais do grupo cresceram 2,5%, para US$ 115,6 bilhões, abaixo da previsão de analistas de 117,7 bilhões. Já as vendas mesmas lojas nos EUA caíram 1,8%.

(Por Brad Dorfman e Jessica Wohl)

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOWALMARTRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.