Weber, do BCE: cortes profundos no juro são apropriados na crise

Preocupações sobre os efeitos do afrouxamento monetário no longo prazo não deveriam impedir os bancos centrais de cortar o juro agressivamente na atual crise, afirmou nesta terça-feira o membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE) Axel Weber. "Nós não deveríamos, neste ponto, evitar reduzir a taxa agressivamente, porque nós entendemos que todos os indicadores mostram que a economia está em queda livre", afirmou ele em uma conferência para marcar o 50o aniversário do banco central da Malásia. Ele acrescentou, entretanto, que mesmo em resposta a uma crise a política monetária não deve perder de vista seu foco mais amplo. Weber também defendeu a orientação de médio a longo prazos do BCE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.