Weg investe em fábrica de motores no Espírito Santo

Projeto prevê investimentos de R$ 186 milhões, com início de operação previsto para 2011

Sandra Hahn, PORTO ALEGRE, O Estadao de S.Paulo

22 de agosto de 2009 | 00h00

A catarinense Weg anunciou ontem a construção de uma fábrica de motores elétricos no município de Linhares, no norte do Espírito Santo. Será a décima unidade do grupo no Brasil. O projeto prevê investimento de R$ 186 milhões em um prazo de quatro a seis anos, e a primeira etapa deve entrar em operação em 2011, de acordo com o gerente de relações com investidores da empresa, Luís Fernando Moran de Oliveira. Uma das maiores fabricantes mundiais de motores elétricos, a Weg tem seu principal parque industrial em Jaraguá do Sul (SC), onde completou, antes do previsto, no ano passado, programa de investimento para ampliar a capacidade de produção. A expectativa era concluir a expansão em 2012, mas o cronograma foi antecipado por causa do comportamento do mercado nos últimos anos, lembrou Oliveira. Antes da decisão pelo Espírito Santo, a Weg disse que vários Estados foram pesquisados. A escolha considerou as vantagens de logística na compra de matéria-prima, pela proximidade com fornecedores de aço e cobre, além da infraestrutura para escoar a produto, tanto no mercado interno quanto para as exportações. A Weg vai receber incentivos fiscais do governo estadual - a empresa assinou acordo com o governador Paulo Hartung (PMDB) prevendo os benefícios - e federal, por intermédio da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, já que o Espírito Santo faz parte da área de atuação do órgão. A prefeitura de Linhares, por sua vez, doou um terreno para a fábrica.Além do Brasil, a Weg tem fábricas na Argentina, México, Portugal e China. Em maio do ano passado, anunciou o projeto de contar com uma fábrica de motores elétricos na Índia, que começaria a operar em 2010. Em maio deste ano, a companhia inaugurou uma fábrica de transformadores de potência no México. Oliveira disse que o perfil dos produtos que sairão de Linhares e a distribuição das vendas serão definidos de acordo com o comportamento do mercado. Para o investimento, a Weg deve contar com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.Apesar do efeito positivo dos incentivos fiscais aos produtos da linha branca, as vendas da Weg no mercado brasileiro caíram 12,6% no segundo trimestre, em comparação com o mesmo período de 2008. Nas exportações, a receita foi 8,7% maior.A empresa considerou as condições de mercado do primeiro semestre como as mais difíceis em muitos anos. A empresa foi afetada diretamente pela crise financeira global. Em março, resolveu fechar uma fábrica em Guarulhos (SP), que fabricava motores para eletrodomésticos e empregava 400 pessoas. No final daquele mês, a empresa fechou acordo com os empregados em Santa Catarina para reduzir em 25% a jornada de trabalho e em 20% os salários. Por causa desse cenário, o grupo indicou que a expectativa inicial de elevar entre 15% e 18% a receita líquida em 2009 parece fora de alcance. Em 2008, a Weg registrou receita de R$ 4,502 bilhões. Apesar do cenário difícil, a Weg teve lucro de R$ 129,7 milhões de abril a junho, 23,7% abaixo do registrado no mesmo período do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.