WorldCom confirma corte de 5 mil empregos

A companhia norte-americana WorldCom Inc., que no Brasil controla a Embratel, confirmou planos de cortar cinco mil empregos adicionais - o correspondente a 8% de sua força de trabalho - na tentativa de sair do processo de concordata. Em comunicado, a companhia disse que também planeja reduzir custos de linha em US$ 1,5 bilhão. Como um todo, os cortes de custos deverão representar uma economia de US$ 2,5 bilhões por ano."Esse plano é um passo importante dos nossos esforços para reestruturar a WorldCom, encaminhar nosso plano de reorganização em abril e sair da concordata no final deste ano", disse o chairman e executivo-chefe do grupo, Michael Capellas, que alertou no mês passado sobre possíveis demissões além dos 17 mil cortes de empregos anunciados em junho. A companhia disse que as demissões vão ocorrer principalmente em funções coorporativas e administrativas e não vão afetar equipes de vendas e funções operacionais e tecnológicas.As economias com custos de linha virão por meio da renegociação de 2,6 mil contratos de fornecimento, melhorias tecnológicas e integração de serviços de rede. Uma porta-voz da WorldCom disse que o grupo ainda está decidindo quais unidades serão fechadas sob o plano. Em geral, escritórios pequenos serão consolidados em outros maiores.A empresa pediu concordata em julho após ter se envolvido em enorme escândalo contábil. Capellas, que assumiu a direção da companhia em novembro, disse em meados de janeiro que esperava que o grupo encaminhasse um plano de reorganização dentro de 100 dias, aproximadamente em 15 de abril. Capellas fixou o sábado como prazo final para um novo plano de estrutura de custos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.