Xerox desiste de acordo de US$ 6 bi com Fujifilm

Investidores argumentarem que a companhia norte-americana estava sendo subvalorizada

Reuters

14 Maio 2018 | 10h16

NOVA YORK/TÓQUIO - A Xerox desistiu de acordo de US$ 6,1 bilhões de dólares com a Fujifilm, em uma vitória para os acionistas Carl Icahn e Darwin Deason.

+ ‘O Brasil não é um País que pode ser ignorado na hora de investir’

A vitória dos investidores bilionários deixou a companhia japonesa ainda mais atrás sobre qualquer nova negociação com a Xerox, embora a empresa não esteja totalmente fora do páreo, agora que a Xerox deverá ser colocada à venda em um leilão pelo maior preço.

+ Grupo asiático ganha exclusividade para comprar brasileira Lwarcel por R$ 2 bi

As duas companhias tinham concordado em janeiro em fazer uma complexa fusão em que a Xerox seria incorporada pela joint-venture Fuji Xerox, atualmente controlada pela Fujifilm. O acordo fez Icahn e Deason, que detêm 15% da Xerox, argumentarem que a companhia norte-americana estava sendo subvalorizada.

A Xerox afirmou que pediu durante várias semanas para a Fujifilm iniciar imediatamente negociações sobre uma melhoria na proposta feita pelo grupo japonês.

“Apesar de nossa insistência, a Fujifilm não deu garantia de iria fazer isso dentro de um cronograma aceitável”, afirmou a Xerox em comunicado sobre a decisão de desistir do acordo.

Enquanto isso, a Fujifilm contestou o direto da Xerox de encerrar as conversas e afirmou que vai buscar todas as opções, incluindo judiciais, para ser ressarcida.

A Fuji Xerox, 75% controlada pela Fujifilm, vende contratos de suporte a clientes globais e a Xerox negocia serviços nos Estados Unidos e Europa. Além disso, a Xerox não fabrica mais suas próprias copiadoras, dependendo da Fuji Xerox.

A Xerox afirmou que agora seu conselho de administração vai se reunir imediatamente para “começar um processo de avaliação de todas as alternativas estratégicas para maximizar o valor aos acionistas”.

Mais conteúdo sobre:
FujiXerox Corporation

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.