Xerox é investigada sobre revisão de resultados

As autoridades federais dos EUA estão investigando se devem processar criminalmente a Xerox devido à correção de balanço realizada pela empresa este ano, reduzindo sua receita entre 1997 e 2001 em US$ 6,4 bilhões, segundo informações do Wall Street Journal. Essa investigação inicial, bem como a investigação civil que está sendo conduzida pela Securities and Exchange Commission (SEC, ou a CVM nos EUA) sobre os atuais e antigos executivos da empresa têm o potencial de manter o assunto aceso. A Xerox não negou nem confirmou ter agido ilegalmente. A companhia chegou a um acordo com a SEC, porém a comissão informou outras pessoas, inclusive o atual tesoureiro da Xerox, Greg Tayler, de que poderão enfrentar uma acusação civil no caso, de acordo com pessoas familiarizadas com as investigações. Pessoas a par da investigação criminal afirmam que agentes do Federal Bureau of Investigation (FBI), em conjunto com a Procuradoria Geral dos EUA em Bridgeport, Connecticut, interrogaram recentemente James Bingham, ex-assistente de Tesoureiro da Xerox, o qual afirmou que foi demitido da empresa em 2000, após ter repetidamente questionado as práticas contábeis da companhia. Em seus depoimentos no caso da SEC, Bingham testemunhou que no final dos anos 90, a contabilidade imprópria era prática rotineira na empresa, utilizada para esconder resultados em deterioração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.