Yeda Crusius nega possível venda do Banrisul

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), reiterou hoje que não pretende vender o Banrisul, controlado pelo Estado. "O Banrisul não é para vender, é para desenvolver o Estado", afirmou, ao comentar declarações de interesse na instituição gaúcha que o presidente do Banco do Brasil, Antonio Lima Neto, teria feito em café da manhã com parlamentares, em Brasília.Conforme Yeda, o Banrisul "é a jóia da coroa do Rio Grande do Sul". Ela lembrou que o aumento de capital do banco gerou R$ 2 bilhões, permitindo ao governo injetar parte dos recursos em fundos de aposentadoria criados em busca de solução para o déficit previdenciário. A governadora fez os comentários ao lançar hoje, na Grande Porto Alegre, programa de investimentos em rodovias, hidrovias e aeroportos regionais.Caso pretendesse vender o banco, a governadora precisaria modificar a Constituição estadual, que prevê a realização de plebiscito na hipótese de alienação de controle do Banrisul, já que em uma consulta popular a resistência tende a ser grande. Apesar de contar com ampla maioria na Assembléia, o governo já foi derrotado em votações importantes como a proposta de aumentar impostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.