Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Yellen, do Fed, enfatiza que alta do juro depende de inflação e emprego

Presidente do BC dos EUA disse que a taxa de juros ficará perto de zero enquanto o nível de ocupação não melhorar e não houver mais inflação

Reuters

16 de abril de 2014 | 13h49

NOVA YORK - O tempo em que o Federal Reserve manterá sua principal taxa de juros perto de zero vai depender da distância em que a economia dos Estados Unidos permanecerá das metas de emprego e inflação do banco central do país, e quanto tempo deverá demorar para atingi-las, afirmou nesta quarta-feira a presidente do Fed, Janet Yellen.

Yellen, em seu segundo discurso público à frente da autoridade monetária americana, reafirmou a postura do Fed, destacando que vai responder à mudança das condições econômicas conforme julgar quando finalmente apertar a política monetária.

O banco central, frustrado com a fraca recuperação dos EUA da recessão, tem como objetivo emprego sustentável máximo e alta da inflação, atualmente em pouco mais de 1%, para 2%.

"Quanto maior a diferença do emprego ou inflação de seus respectivos objetivos, e quanto mais lento o progresso projetado na direção desses objetivos, por mais tempo a atual faixa para a taxa de juros deve ser mantida", disse Yellen ao Clube Econômico de Nova York.

"Essa postura destaca o compromisso contínuo do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto) para manter o grau apropriado de acomodação para sustentar a recuperação", completou ela.

"A nova orientação também reafirma a visão do Fomc de que decisões sobre alta não devem ter por base qualquer indicador único, mas que leve em consideração ampla gama de informações sobre o mercado de trabalho, inflação e acontecimentos financeiros."

Tudo o que sabemos sobre:
fedyellen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.