Yuan estável é bom para China e para Europa, diz Jiabao

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Yuan estável é bom para China e para Europa, diz Jiabao

Apesar da pressão dos EUA, primeiro-ministro chinês reitera a política de permitir elevações 'graduais' na moeda

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

30 de novembro de 2009 | 08h00

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, disse nesta segunda-feira, 30, que a estabilidade do yuan é boa tanto para a China como para a Europa e reiterou a política de Pequim de permitir apenas elevações graduais e administráveis no valor da moeda. "A China vai continuar a seguir sua política de medidas graduais, controláveis e proativas para permitir que o yuan se valorize numa base razoável", afirmou Jiabao.

Os comentários foram feitos após uma reunião de cúpula entre a China e a União Europeia na cidade de Nanjing, no leste da China. "Há alguns países, por um lado, pedindo que o yuan suba e, por outro, adotando medidas protecionistas. Isso não é justo", declarou, em uma clara crítica aos Estados Unidos.

 

Na semana passada, legisladores dos EUA criticaram o governo do presidente Barack Obama por não pressionar a China o suficiente sobre seu regime cambial rígido, preparando o terreno para impor tarifas de importação sobre produtos chineses. Enquanto Obama retornava de viagem sem nenhuma promessa da China de tornar o yuan flexível, legisladores Republicanos e Democratas enviaram uma carta ao Departamento do Comércio pedindo uma investigação sobre "a manipulação cambial da China", informou o Wall Street Journal.

 

Legisladores e diversos grupos industriais norte-americanos alegam que Pequim está artificialmente enfraquecendo o valor do yuan para impulsionar sua competitividade nas exportações, o que, segundo eles, seria o responsável pelo déficit comercial recorde de US$ 268 bilhões com a China no ano passado.

 

O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, enfrentou duro questionamento sobre o yuan de legisladores, durante audiência do comitê econômico congressional conjunto. Geithner assegurou os legisladores de que estava confiante de que a China vai permitir que sua moeda seja mais flexível, citando o compromisso que Pequim fez em deixar que o yuan flutue. As informações são da Dow Jones.

 

(com Nathalia Ferreira, da Agência Estado)

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chinayuan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.