Yukos é notificada por bancos pelo não-pagamento de US$ 1 bi

A companhia petrolífera Yukos informou que bancos, liderados pelo Société Générale, notificaram a empresa sobre o default (calote) de um empréstimo sindicalizado de US$ 1 bilhão. Segundo o "The Wall Street Journal", os credores desse empréstimo não teriam forçado a Yukos a honrar com o pagamento imediatamente, já que querem evitar que a companhia entre em concordata.Segundo a porta-voz do Socgen, Laetitia Maurel, a notificação foi uma medida legal para proteger os bancos, diante dos fatos recentes envolvendo a companhia e o governo russo. O comunicado judicial ampliou as especulações de que a companhia está à beira de uma concordata. Em um comunicado divulgado no meio da manhã, a Yukos informou que continuará a cumprir com seus compromissos, mas destacou que as ações do governo a colocam em um estado de insolvência artificial.A notificação se somou a outras informações negativas que surgiram no fim de semana, incluindo uma busca na sede da empresa por autoridades de Justiça, no sábado, e a abertura de um processo judicial por acionistas minoritários de Nova York, que pedem uma ação conjunta contra a direção da Yukos, acusando-a de omitir as dificuldades econômicas do grupo.Em resposta a essas notícias, as ações da Yukos caíram cerca de 10% na abertura da sessão na Moscow Interbank Currency Exchange (MICEX), para o equivalente a US$ 6,5 por ação. As matérias mais recentes indicavam que o declínio tinha se desacelerado e que as ações recuavam 2,2% mais recentemente. Além do Société Générale, os credores sindicalizados da Yukos incluem o HSBC, Citigroup e Deutsche Bank.PrazosA Dow Jones informou que tentou, mas não conseguiu entrar em contato com esses bancos. A Yukos tem, essa semana, o prazo final para honrar o pagamento ao governo de 99,4 bilhões de rublos (US$ 3,4 bilhões) em impostos referentes a 2000 e multas sobre esse atraso. Argumentando não ter recursos, a companhia propôs a venda de sua participação de 35% na Sibirskaya Nefyanaya Kompaniya, ou Sibneft, para cobrir essa dívida, mas uma Corte de Moscou rejeitou a permissão.Um porta-voz do Grupo Menatep, que controla o maior bloco de ações da Yukos e detém mais US$ 1,6 bilhão de dívidas da empresa, informou que a empresa pode também fazer uma notificação de default, seguindo outros credores. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.