Zapatero confirma corte de gasto

O primeiro ministro espanhol, o socialista José Luiz Rodríguez Zapatero, afirmou ontem que seu governo está determinado a aplicar o plano de austeridade fiscal, apesar das pressões dos sindicatos que ameaçam convocar uma greve geral.

Afp, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2010 | 00h00

Em encontro do partido socialista em Elche, no sul da Espanha, Zapatero avisou que está consciente dos protestos, mas que não cogita mudar a política.

"Nem mudança, nem solavanco, respondemos às circunstâncias governando com responsabilidade, pensando no futuro da Espanha e não em uma convocação eleitoral", disse. "São medidas duras, mas realistas e necessárias para a saída da crise".

O governo de Zapatero aprovou na quinta-feira um decreto-lei que inclui medidas de austeridade impopulares para obter economia de 15 milhões em 2010 e 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.