Zavvi engrossa lista das varejistas britânicas em colapso

A Zavvi, rede varejista de CDs, DVDs, jogos e livros, tornou-se nesta quarta-feira a terceira vítima britânica da crise financeira mundial em menos de 24 horas. O administrador Ernst & Young disse que pretende vender total ou parcialmente a Zavvi, que tem 114 lojas na Grã-Bretanha. O grupo Zavvi emprega 2.363 funcionários permanentes e 1.052 temporários. O colapso da rede, que ocorre horas após outras duas lojas britânicas recorrerem à intervenção de administradores, uma forma de proteção do credor, enfatiza a pressão do setor em meio à desaceleração do consumo. No fim da terça-feira, a varejista de roupas masculinas The Officers Club apontou a PricewaterhouseCoopers como seu administrador, que prontamente vendeu 118 de 150 lojas a seu presidente-executivo, David Charlton. Embora 32 lojas serão fechadas, o acordo garantiu a manutenção de mil empregos. Horas antes, a Whittard of Chelsea, varejista de café e chá que tem 165 lojas e é controlada pelo investidor islandês Baugur, recorreu à Ernst & Young, que imediatamente vendeu seus negócios ao fundo de private equity Epic por uma quantia não revelada. Com a confiança do consumidor abatida pela queda dos preços de moradias e pela alta do desemprego, as varejistas britânicas têm experimentado o ambiente mais difícil em anos. No início desta semana, o especialista em insolvência da Begbies Traynor previu que 15 redes regionais e nacionais irão falir no próximo ano.

REUTERS

24 Dezembro 2008 | 14h25

Mais conteúdo sobre:
CRISE INGLATERRA FALENCIAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.