Zayda: arrecadação no 4º tri deve crescer abaixo de 10%

A secretária adjunta da Receita Federal, Zayda Manatta, disse hoje que o crescimento real da arrecadação no último trimestre de 2011 será menor do que 10%, de forma a permitir que a expansão anual fique dentro da estimativa oficial de 11% a 11,5%. A estimativa da Receita é de uma arrecadação em torno de R$ 935 bilhões este ano.

RENATA VERÍSSIMO E FABIO GRANER, Agencia Estado

19 de outubro de 2011 | 16h39

O Fisco trabalha com a possibilidade de haver queda real em algum desses meses, na comparação com ano passado, sobretudo em dezembro. O coordenador adjunto de Previsão e Análise da Receita, Marcelo Gomide, explicou que o último trimestre de 2010 foi muito forte em termos de recolhimento de tributos, em função de arrecadações atípicas, particularmente em dezembro.

"Em dezembro, houve fatores extraordinários que a gente não espera que se repitam este ano", disse. Segundo ele, foi registrada uma arrecadação extra de Imposto de Renda (IR) e de PIS e Cofins, em torno de R$ 6 bilhões. "Quando fazemos a estimativa de crescimento da arrecadação, temos que expurgar os fatores extraordinários", explicou.

Segundo Zayda Manatta, um aumento nos resgates nos fundos de investimento e a maior taxa de juros levaram ao aumento real de 29,43% na arrecadação do Imposto de Renda sobre Rendimentos de Capital (IRRF-rendimentos de capital), que somou R$ 1,765 bilhão em setembro. Apesar de o movimento ter sido registrado em um período de bastante turbulência no mercado e de saída de recursos do País, a secretária-adjunta da Receita Federal evitou vincular as duas coisas, explicando que os resgates podem ser motivados por diferentes decisões de investimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
Receita Federalarrecadação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.