Zenvia traz comunicação com o cliente feita com inteligência
Conteúdo Patrocinado

Zenvia traz comunicação com o cliente feita com inteligência

Com 18 anos de mercado, Zenvia se tornou a primeira companhia SaaS da América Latina a abrir capital na Nasdaq

Zenvia, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

20 de dezembro de 2021 | 09h00

Obter um resultado produtivo e eficiente para o negócio e não correr o risco de perder o relacionamento, conversando de forma proativa e personalizada, significa sempre engajar o cliente numa experiência positiva e envolvente, falando com ele onde ele preferir.

Isso passa por conhecer os comportamentos e aplicar inteligência de dados, para se antecipar e saber exatamente o que a pessoa precisa. E, com as informações em mãos, planejar a comunicação para uma oferta ou para a recuperação do engajamento, também lembrando sobre a empresa e seus produtos adequados a cada perfil.

Fazer com que essa comunicação seja relevante e objetiva para o consumidor e não corra o risco de ser incômoda ou confundida com spam é a expertise da Zenvia, empresa com 18 anos de mercado, 11 mil clientes e que se tornou a primeira companhia software as a service (SaaS) da América Latina a abrir capital na Nasdaq, em julho deste ano.

“A Zenvia vem fortalecendo a sua camada de soluções, que ajuda as empresas a melhorar os seus processos de negócio quando utilizam nossa plataforma”, explica o CEO, Cassio Bobsin. “Dentro de toda essa estratégia que as empresas vêm demandando, surge a necessidade cada vez maior de fazer as comunicações baseadas em dados, porque ainda é muito comum fazer um contato para milhares de clientes ao mesmo tempo”, acrescenta.

Um dos canais mais poderosos que as companhias têm atualmente à disposição para falar com seus consumidores é o onipresente WhatsApp, onde, em uma visão de mercado trazida pela Zenvia, 76% das pessoas interagem com alguma marca pelo app, que está instalado em 99% dos smartphones dos brasileiros.

Bobsin acrescenta que modais como chat, SMS e voz também podem ser ferramentas integradas a essa comunicação, que pode ser feita de forma automatizada ou combinando interações humanas e de máquinas. “É um cenário muito complexo para as empresas ter que lidar com oito, dez diferentes canais. Por isso, oferecemos soluções para que a empresa possa ver, em uma única plataforma, todos os canais e as diferentes interações em cada um deles. Assim, as marcas podem responder com agilidade e personalização, respeitando o que todo cliente quer: ser tratado com educação e eficiência como uma única pessoa, não importando em qual canal esteja, sem ter de repetir informações.” 

O sistema, diz o CEO, possibilita personalizar as comunicações de maneira praticamente individual, levando em conta todo o histórico de interações, perfil e hábitos, mesmo se o cliente iniciar a interação por um determinado meio (por exemplo, numa loja física) e quiser continuar por chat. Ou em uma situação comum na pandemia – fazer uma compra por meio eletrônico e retirar pessoalmente. Todas as informações, no software, ficam centralizadas e facilmente acessíveis. “Nossa cultura parte de acreditar que todas as pessoas são únicas, e essa comunicação deve ser pensada desta forma”, argumenta Bobsin.

Adaptável a qualquer canal, a plataforma da Zenvia pode inclusive integrar qualquer tipo de dado sobre um cliente já em posse da empresa, também com origem em qualquer meio de comunicação anterior.

O trabalho de “pensar” qual a solução mais adequada para cada caso é feito conjuntamente entre a Zenvia e seus clientes. “Se você está pesquisando um produto, usa o site ou o aplicativo. Se você está com um problema, vai querer falar por WhatsApp ou ligação. É preciso combinar essas informações com o perfil dos clientes e as características do negócio antes de optar por uma estratégia de comunicação”, exemplifica Cassio Bobsin. 

Para o CEO, o fortalecimento das relações digitais trazido (ou mesmo forçado, em alguns casos) pela pandemia também deve estar nesse cenário. “A pandemia acabou ensinando um pouco que o digital é um caminho meio sem volta, e inclusive ajudou nessa familiarização das pessoas com os meios digitais para interagir com as empresas. Essa situação levou as companhias a acelerar a adoção de ferramentas digitais, e é nesse sentido que nossa tecnologia ajuda muito as empresas a navegar nessa complexidade”, reflete o executivo.

Bobsin ressalta que a plataforma pode ser usada por empresas de qualquer área de negócio ou tamanho. “Usar o poder dos dados em seu negócio é fundamental, independentemente do tamanho da empresa. Também é muito acessível. Temos clientes que pagam alguns poucos reais por mês e começam a utilizar nossa tecnologia. Conforme vão conquistando resultados, eles começam, claro, a utilizar outras partes da plataforma, sempre de um jeito que gera retorno muito fácil”, finaliza o CEO.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.